sábado, 23 de abril de 2011

O Amor de Deus - acreditar é receber

A chave para receber o amor de Deus é decidir acreditar que ele está aí para você, basta escolher se abrir para ele. Nada pode nos separar do amor de Deus, exceto nossa própria inabilidade em recebê-lo.
A Bíblia diz: “A bondade do Senhor protege quem nele confia” (Salmo 32:10). Mais experimentará o amor de Deus, quanto mais disser: “Está bem, Deus, vou confiar nas suas promessas e em tudo que dizes sobre mim e minhas circunstâncias, escolho acreditar em ti.”

Receber o dom do amor de Deus significa que você não tem que fazer coisas desesperadas para conseguir aprovação.
Nem precisará ficar depressiva quando não receber amor dos outros exatamente da forma que pensou. Quando sentimos o amor de Deus, a pressão desaparece e nos liberta para sermos tudo o que fomos criados para ser.

Se tiver dúvidas em relação ao amor de Deus por você, peça-lhe para mostrar diretamente. Leia o que a Bíblia diz sobre o amor e escolha acreditar. O amor de Deus não é somente um sentimento; é o Espírito de Deus. Porque ele é amor, passar simplesmente um pouco de tempo em sua presença, em oração e louvor, faz com que ele permeie seu ser.
Se, após fazer todo o possível, ainda não sentir que Deus a ama, provavelmente precisará da libertação de alguma cadeia emocional.
Peça-lhe para mostrar o que é e se deveria procurar aconselhamento. Esta parte da cura e restauração é importante demais para ser negligenciada.
Abrir-nos para receber o amor de Deus torna-nos mais capazes de amar o próximo, mesmo aqueles com quem não temos afinidade natural. Irradiar amor em relação aos outros é parte do perfeito amor de Deus em nós. Também faz com que as pessoas nos amem mais. Aqueles que têm a plenitude do amor de Deus fluindo são sempre bonitos e atraentes aos que estão ao redor.

Então vamos demonstrar o amor de Deus que há em nós para com as outras pessoas. 
*S2* "Estou convencido de que aquele que começou a boa obra em vocês, vai completa-la até o dia de cristo Jesus." (Filipenses 1:6) *S2*

sexta-feira, 15 de abril de 2011

Sua Atitude pode mudar tudo

 
      Ninguém quer ficar perto de uma pessoa cujas atitudes são negativas. A vida já é suficientemente dura sem ou­vir alguém sempre se queixando em seu ouvido. Conheço um homem que está tão habituado a ficar irritado, que essa é a sua primeira reação a tudo - até às boas notícias.
      Quando coisas agradáveis acontecem, ele descobre algo para preo­cupar-se. Infelizmente, é provável que seja uma reação aprendida e condicionada desde a infância. É possível que ninguém lhe tenha mostrado como gozar a vida. Mas deixar que o passado continue a controlar o presente é escolha dele. Em vista disso, esse homem não só será sempre infeliz, como também os que o cercam. Não queremos ser esse tipo de pes­soa, nem queremos viver com alguém assim.
      O indivíduo zangado, severo e negativo pode ficar assim por várias razões. Ele permanece assim por causa de uma von­tade obstinada que se recusa a receber o amor de Deus. A Bí­blia diz que temos uma escolha quanto ao que vamos deixar entrar em nosso coração (Sl 101.4) e se iremos endurecê-lo pa­ra o amor de Deus ou não (Pv 28.14). Escolhemos a nossa ati­tude. Escolhemos receber o amor do Senhor. Permitimos que uma atitude de agradecimento nasça em nós.
      Se o seu marido tem uma atitude constantemente nega­tiva, um bom casamento se tornará infeliz e um relaciona­mento vacilante ficará intolerável. O hábito de reagir negati­vamente irá afetar todos os aspectos da vida dele. E claro que você não pode governar a vontade de seu marido, mas pode orar para que a vontade dele se ajuste à de Deus.
      Ore para que o coração dele se torne puro, porque a Bí­blia promete que o indivíduo de coração puro verá a Deus (Mt 5.8) e terá um rosto alegre (Pv 15.13). (Quem não quer que seu marido veja a Deus e tenha uma fisionomia alegre?) Ore para que o coração dele se encha de louvor, agradeci­mento, amor e alegria, porque "o homem bom tira do tesou­ro bom coisas boas; mas o homem mau do mau tesouro tira coisas más" (Mt 12.35).
      Mesmo que não haja grandes mudanças de imediato, certamente ele será abrandado pelas suas orações. Isso, pelo menos, pode melhorar a sua atitude enquanto você espera que a dele melhore.

Oração

     Senhor, encha hoje (nome do marido) com o seu amor e paz. Que ele possa sentir calma, serenidade e bem-estar porque a sua vida é controlada por Deus, em vez de pela carne. Capa­cite-o a manter um coração limpo e perfeito diante do Senhor (Sl 101.2). Faça brilhar a luz do seu Espírito sobre ele e enche-o com o seu amor.
     Oro para que ele seja bondoso e paciente, e não egoísta e facilmente irritável. Capacite-o a suportar todas as coisas (1 Co 13.7). Liberte-o da ira, inquietação, ansiedade, das preo­cupações, do tumulto íntimo, dos conflitos e da pressão. Que o seu espírito não seja abatido pela tristeza (Pv 15.13), mas participe do banquete contínuo do coração alegre (Pv 15.15). Dê-lhe um espírito de contentamento e impeça que se torne um velho rabugento.
     Ajude-o a não ficar ansioso por coisa alguma, mas dê gra­ças em todas as coisas, de modo a conhecer a paz que excede todo entendimento. Que ele chegue ao ponto de dizer:"Apren­di a viver contente em toda e qualquer situação" (Fp 4.11). Digo a (nome do marido) neste dia: "O Senhor te abençoe e te guarde; o Senhor faça resplandecer o seu rosto sobre ti, e tenha miseri­córdia de ti; o Senhor sobre ti levante o seu rosto, e te dê a paz" (Nm 6.24-26).

*S2* "Estou convencido de que aquele que começou a boa obra em vocês, vai completa-la até o dia de cristo Jesus." (Filipenses 1:6) *S2*

quarta-feira, 13 de abril de 2011

Parte V - O Que o Sexo Significa Para o Homem?


Continuando o artigo anterior.
O ato conjugal é vitalmente importante para o marido pelo menos por cinco razões.

1. Satisfaz seu instinto sexual,
2. Satisfaz seu senso de masculinidade,
3. Aumenta seu amor pela esposa,
4. Reduz as tensões no lar, conforme já explicitamos no post anterior e para finalizarmos o ultimo tópico abaixo.


5. Proporciona-lhe a mais emocionante experiên­cia de sua vida.
A titânica explosão física e emocional, que é a culminância do ato conjugal para o marido, é, tranqüilamente, a mais emocionante experiência que ele pode viver, pelo menos no caso das experiências que se repetem. Naquele momento, todos os outros pensamentos apagam-se de sua mente; cada glândula e órgão de seu corpo parece atingir um nível elevadís­simo. Ele sente como se a pressão sangüínea e a temperatura se elevassem quase ao ponto de ele perder o controle. A certa altura, a respiração se acelera, e ele geme em êxtase quando a pressão explode com a liberação do sêmen para o objeto de seu amor. As palavras são inadequadas para descrever esta fantástica experiência. Embora a natureza agres­siva dos homens os leve a empenhar-se em atividades as mais diversas, muitas delas emocionantes — conhe­cemos esquiadores, motociclistas, pilotos de jato, paraquedistas e jogadores de futebol profissional — todos concordam que o sexo é a mais emocionante.
Certo homem, que sofria de um problema cardía­co, deu a melhor descrição que já ouvimos para a importância do ato conjugal para o marido. Apesar de avisado pelo seu médico de que um esforço excessivo poderia matá-lo, continuou a manter relações com a esposa. Por vezes, após a relação, era acometido de um terrível choque — palpitações do coração, o rosto empalidecia, as mãos e pés ficavam frios e transpiran­do. Em algumas ocasiões, levava duas horas para conseguir levantar-se. Quando lhe sugeri que poderia morrer durante o ato sexual com a esposa, ele respon­deu: "Não vejo outra maneira melhor de morrer."
O mais belo aspecto disso tudo é que Deus criou essa experiência para que o homem dela partilhasse apenas com sua esposa. Se ele a ama e gosta dela da maneira como Deus ordenou, eles gozarão de um relacionamento caloroso e efetivo que enriquecerá seu casamento; a agradável e emocionante experiência do ato sexual mútuo será experimentada milhares de vezes, durante a vida de casados.

Marabel Morgan, autora do livro A Mulher To­tal, sugere que, quando o marido volta para casa à noite, tem apenas duas coisas em mente: jantar e sexo, e não necessariamente nessa ordem.


*S2* "Estou convencido de que aquele que começou a boa obra em vocês, vai completa-la até o dia de cristo Jesus." (Filipenses 1:6) *S2*

segunda-feira, 11 de abril de 2011

Parte IV - O Que o Sexo Significa Para o Homem?


Continuando o artigo anterior.
O ato conjugal é vitalmente importante para o marido pelo menos por cinco razões.

1. Satisfaz seu instinto sexual,
2. Satisfaz seu senso de masculinidade,
3. Aumenta seu amor pela esposa, conforme já explicitamos no post anterior

4. Reduz as tensões no lar

Outro benefício de uma relação satisfatória entre o casal é que isso tende a diminuir as pequenas irritações do lar.
 Um homem sexualmente satisfeito geralmente é um homem con­tente. É certo que isso não resolve os grandes proble­mas — não conserta um pára-choque amassado, nem compensa gastos excessivos — mas reduz bastante a incidência de pequenos atritos. Muitas mulheres já comentaram: "Meu marido se torna mais tratável quando nosso relacionamento sexual está correndo como deve e ele tem mais tendência a ser paciente com outras pessoas."
Muitos homens não percebem que inúmeras de suas inexplicáveis irritações podem ser creditadas a um impulso sexual não satisfeito.
Uma esposa inteli­gente, porém, se manterá alerta para essa possibilida­de. Quando prevalece a harmonia sexual, por alguma razão, o mundo parece melhor, e as dificuldades retomam suas dimensões normais. É como se seu trabalho e as pressões da vida valessem mais a pena, quando ele e a esposa consumam o ato sexual de maneira adequada.
Esse ato envolve muito mais do que a simples satisfação das funções glandulares. Quando um ho­mem se casa, ele sacrifica muita coisa ou pelo menos ele pensa assim. Quando solteiro, sente-se bastante livre e despreocupado. Se deseja passar a noite toda na rua com os amigos, não precisa dar explicações a ninguém de onde andou, nem conside­rar os interesses de outrem. Se vê algo que deseja, compra, quer possa fazê-lo ou não. Isso tudo se modifica com o casamento.
Além do mais, seu espírito despreocupado cede lugar a um sempre crescente peso de responsabilida­de, que o casamento, de forma singular, coloca sobre ele.
A mulher pensa sobre finanças apenas ocasional­mente, mas, em geral, com uma deliberação limitada e curta. O marido, porém, tem que deitar-se ciente de que é o provedor da família. Acorda de manhã com o pensamento: "Preciso trabalhar muito hoje; minha esposa e filhos dependem de mim." Se ele não apren­der desde cedo na vida a entregar seus caminhos ao Senhor, isso pode tornar-se um fardo muito pesado para ele.


 No próximo post falaremos do 5º e ultimo tópico "O que o sexo significa para o Homem?"

*S2* "Estou convencido de que aquele que começou a boa obra em vocês, vai completa-la até o dia de cristo Jesus." (Filipenses 1:6) *S2*

sábado, 9 de abril de 2011

Parte III - O Que o Sexo Significa Para o Homem?

Continuando o artigo anterior.
O ato conjugal é vitalmente importante para o marido pelo menos por cinco razões.

1. Satisfaz seu instinto sexual,
2. Satisfaz seu senso de masculinidade, conforme já explicitamos no post anterior

3. Aumenta seu amor pela esposa.
Estamos fami­liarizados com o vocábulo síndrome, que sempre asso­ciamos a conceitos negativos como depressão, ira ou temor. Entretanto, ele pode ser empregado positiva­mente em conexão com o amor. 
Uma síndrome de amor nunca magoaria ninguém; e essa síndrome é criada entre os casais cuja atividade sexual é mutua­mente satisfatória.
E como o homem foi dotado por Deus com uma consciência, além de um forte impulso sexual, a satisfação desse impulso aliado ao fato de não ferir essa consciência, aumentará seu amor pela pessoa que possibilita isso. Mas somente uma mulher pode ser essa pessoa — sua esposa.

Siga o nosso raciocínio. O impulso sexual do homem só pode ser satisfeito pela ejaculação. Isso só é conseguido por quatro meios: (1) relação sexual; (2) masturbação; (3) polução noturna; (4) homossexualis­mo. O ato sexual é, sem comparação, o mais satis­fatório, mas esse, por sua vez, pode ser realizado na união conjugal, prostituição ou adultério.
So­mente um desses tipos, porém, é acompanhado de uma consciência limpa — o amor conjugal. 
 Todas as experiências sexuais ilícitas possuem um ponto em comum. Embora proporcionem ao homem uma satisfação biológica, não contêm em si a garantia de uma apreciação duradoura, pois a consciência que Deus deu a todo homem o "acusa", quando ele trans­gride os padrões divinos de moralidade. (Leia Romanos 1.) 
Quando o sexo serve apenas para a auto-satisfação, é seguido de forte senso de culpa, e transforma em far­sa uma experiência que Deus determinou fosse muito gratificante. Em contraste, o ato conjugal, quando executado de maneira correta, é seguido de agradável relaxamento físico, o qual se fundamenta no fato de ser lícito. E como o sexo é um importante aspecto da existência humana, e o amor conjugal preserva imacu­lada a sua inocência, a mulher que oferece tais coisas ao marido se tornará cada vez mais o objeto de sua afeição.

Perguntaram a um marido realizado se já se sentira tentado a experiências extraconjugais, ao que ele respondeu resumidamente, mas de maneira muito clara: "Quando se tem um Cadillac na garagem, quem iria tentar roubar um 'fusca' na rua?"
Nos últimos anos, a atitude das mulheres tem melhorado muito nesta área. Antigamente era comum as esposas considerarem o ato sexual apenas como uma "parte necessária do casamento", ou então "um dever de esposa". Agora, um número sempre crescen­te de mulheres o vêem como um meio, dado por Deus, para enriquecer-se o relacionamento dos dois, para toda a vida.

Continuaremos com o tópico 4 no próximo post.

*S2* "Estou convencido de que aquele que começou a boa obra em vocês, vai completa-la até o dia de cristo Jesus." (Filipenses 1:6) *S2*

quinta-feira, 7 de abril de 2011

Parte II - O Que o Sexo Significa Para o Homem?


Continuando o artigo anterior.

O ato conjugal é vitalmente importante para o marido pelo menos por cinco razões.

1. Satisfaz seu instinto sexual, conforme já explicitamos no post anterior

2. Satisfaz seu senso de masculinidade. 
O homem geralmente possui um ego mais forte do que a mulher. Se ele não se sentir homem aos seus próprios olhos, ele não é nada; e, de alguma forma, seu ego parece estar estreitamente associado a esse impulso sexual. Nunca conheci um homem impotente ou sexualmente frus­trado, que também não tivesse uma fraca imagem de si mesmo. Um homem sexualmente realizado, logo, logo, obtém autoconfiança em outros aspectos de sua vida.
A maioria dos homens não liga sua insegurança a frustrações sexuais, ou porque são orgulhosos demais para fazê-lo, ou por não enxergarem a conexão entre as duas coisas; mas já vi isso acontecer tantas vezes, que sempre que encontro um ego masculino abatido, procuro a causa numa frustração sexual. O homem pode suportar bem um fracasso acadêmico, social ou até mesmo no trabalho, desde que ele e a esposa se entendam bem no quarto de dormir; mas o sucesso nas outras áreas se torna nulo. se ele fracassa no leito. Para um homem, o insucesso no leito significa o fracasso total.
Muitos maridos temem que a esposa esteja apenas suportando o ato sexual por um senso de dever, ou por outro motivo qualquer. 
O que cada homem precisa, principalmente durante um período de fracasso, é de que sua esposa o convença de que o ama pelo que ele é e não pelo que proporciona a ela.
Naturalmente, ele nunca comenta a atividade sexual do casal, mas diz logo mais ou menos assim: "Minha esposa é uma mulher notável. Foi a confiança dela em mim que reacendeu a minha autoconfiança." Aliás, antes mesmo de vir falar comi­go, ela já havia lhe expressado sua confiança em termos tais como: "Não permita que isso derrote você; pode recomeçar tudo de novo." Mas foi somente depois que tomou a iniciativa do ato sexual, que ela conseguiu convencê-lo plenamente de sua confiança nele, em termos que ele entendeu perfeitamente. Mas isso é fácil de entender. Os homens não passam de garotos crescidos, e o fracasso daquele homem havia abalado seu senso de masculinidade e trazido à tona o menino que há no coração de todos eles. Mas o amor triunfou mais uma vez, depois que tudo mais havia falhado.

Algumas mulheres provavelmente irão objetar a este recurso, tachando-o de "exploração do sexo". Preferimos pensar nisso como uma demonstração de amor altruísta. Por afeto ao marido, esta esposa criou no lar uma atmosfera de amor com base nas necessidades, e não nos sentimentos dele — nem nos dela, para ser franco. Isso constitui um belo cumpri­mento da descrição bíblica de amor: "Não tenha cada um em vista o (problema) que é propriamente seu, senão também o (problema) que é dos outros." (Fp 2.4.)
Uma mulher relatou-me o seguinte: "Não importa como esteja nosso relacionamento sexual, se há uma ocasião em que procuro fazer com que meu marido tenha relação comigo é no dia em que ele paga as contas da família. Parece que é a única coisa que o faz sentir-se reanimado." O marido dela ganha um zero por não saber confiar seus problemas a Deus e não saber regozijar-se pela fé (1 Ts 5.18), mas ela tira 10 como esposa sábia e amorosa.

Tais exemplos constituem um franco contraste com o que normalmente acontece nos lares, quando o moral do marido está abatido por um fracasso, dívi­das ou problemas. A maioria das esposas egoístas fica tão abalada à vista de um marido fracassado e inseguro durante um período de provação, que se mostra totalmente despreparada para ser a "auxilia­dora" dele nessa fase de tristeza. Não se deixe enganar por aquele verniz de forte masculinidade que a maio­ria dos homens exibe; debaixo dele acham-se inúme­ras necessidades emocionais que somente uma esposa amorosa pode satisfazer.
A velha tolice puritana de que "uma dama nun­ca dá a entender que aprecia o sexo" está em franco conflito com a necessidade do cavalheiro de saber que sua esposa aprecia totalmente seus cari­nhos. Os conceitos da era vitoriana não parecem fazer distinção entre as proibições pré-conjugais e os tabus que cercavam o sexo no casamento. Naturalmente, uma mulher cristã equilibrada não fará alarde de sua apreciação do sexo; isso é um assunto inteiramente pessoal. Há muitas mulheres inseguras, que parecem acreditar que devem parecer "sexy" em público. Isso é uma distorção do instinto sexual. Uma mulher verda­deiramente segura de si deve reservar seus atrativos sexuais e satisfação apenas para o marido. Isso lhe proporciona grande satisfação. Aliás, quando ele sabe que a união foi apreciada por ambos, isso torna seu prazer sexual mais pleno. Uma mulher inteligente e atenciosa fará todo o possível para demonstrar ao marido que ele é um grande parceiro no amor e que ela aprecia suas relações sexuais. Isso é bom para o moral dele e promove um senso de comunicação sincera entre ambos. Somente um falso e insincero pudor faria com que ela ocultasse do marido uma informação tão importante. O amor genuíno se desen­volve com o dar. É por isso que o marido devotado sente grande satisfação ao saber que a esposa também aprecia a vida sexual.
Essa atitude por parte dela não somente solidifica o relacionamento do casal, mas também reflete em bênçãos para os filhos. Um homem seguro é um pai melhor, tem melhor senso de julgamento e maior capacidade de amar a família toda.


Continuaremos com o tópico 3 no próximo post.
*S2* "Estou convencido de que aquele que começou a boa obra em vocês, vai completa-la até o dia de cristo Jesus." (Filipenses 1:6) *S2*