terça-feira, 31 de agosto de 2010

Você é importante para Deus

Contemplando o universo, onde os satélites artificiais vão perscrutar o infinito e os planetas, sabendo dos pesquisadores que investigam o Cosmos com telescópios tão potentes, podemos perceber a onipotência e a onisciência de Deus.
 
Porém, para nos conhecer intensamente, Jesus não precisa de nenhum instrumento. Do mesmo modo que o Senhor sabia da existência daquele peixe engasgado lá no mar da Galiléia, Ele sabe como você está neste momento, exatamente agora, quando lê este livro. Deus se importa com você! Guarde isso no seu coração. Compreenda a profundidade do fato de que, para Deus, você existe como indivíduo e que Ele o conhece melhor do que você mesmo.

 Muitos dos moradores de apartamentos, que dividem suas vidas lado a lado, não se conhecem. Vizinhos descem no mesmo elevador, cumprimentam-se diariamente, mas tudo não passa de uma formal saudação. Atualmente, as pessoas vivem muito isoladas, e por isso mesmo entendem que ninguém se importa com elas, chegam mesmo a acreditar que o fato de estarem vivas ou não é indiferente para as demais pessoas. Por isso é de vital importância que você abra o seu coração para Deus, para conhecer a plenitude do amor dele e perceber o quanto Ele o conhece e se importa com você.

Deus conhece a mulher que foi desprezada pelo marido, a viúva solitária, o pai de família desempregado, o empresário que está cansado, o jovem frustrado, o adolescente complexado, a moça sonhadora e os seus sonhos, até mesmo aqueles que não se realizaram. O Senhor conhece a tudo e a todos. Ele conhece você! Ele sabe dos porões da sua alma, tão escondidos e escuros, repletos de baús lacrados, mas cujo conteúdo percebe muito bem. Ele conhece a sua intimidade!

Nós nem imaginamos o valor que temos para Deus. Fomos comprados por alto preço. O sangue de Jesus simboliza a moeda paga pelo nosso resgate. Deus nos deu o que Ele tinha de mais precioso: seu Filho. Quando compreendemos o quilate da nossa redenção, percebemos o quanto Ele nos valorizava. O anelo do coração de Deus é que compreendamos que existimos para Ele e lhe somos preciosos. Se entendermos isso, poderemos vislumbrar o seu amor.
Talvez você, marido, esteja pensando: “Eu não existo mais para minha mulher”. Ou você, esposa, pensa que não existe mais para o seu marido nem para seus filhos. Quem sabe, o empregado acredite que para o seu patrão, ele nunca existiu? E muitos são os idosos que, sentindo- se desprezados e abandonados, dizem não mais existirem para a família.

Tenha a certeza, querido leitor, de que o Senhor se importa com você. Essa verdade está presente em vários textos bíblicos e o Salmo 139 é um deles. Esse salmo é de uma eloqüência tremenda quando diz: “Se subo aos céus, lá estás; se faço a minha cama no mais profundo abismo, lá estás também; se tomo as asas da alvorada e me detenho nos confins dos mares; ainda lá me haverá de guiar a tua mão e a tua destra me sustentará.” (Salmos 139.8,9).

*S2* "Estou convencido de que aquele que começou a boa obra em vocês, vai completa-la até o dia de cristo Jesus." (Filipenses 1:6) *S2*

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Deus sabe tudo sobre você

 Deus nos conhece. Ele sabe todas as coisas, nada lhe é encoberto. Se Deus sabe da existência de um peixinho que está entalado, muito mais Ele conhece a mim e a você. Jesus sabe quando você está triste ou alegre. 
Ele tem ciência de que você não possui dinheiro para pagar as muitas contas que estão chegando e sabe de todos os momentos difíceis pelos quais você tem passado. Jesus o conhece profundamente. Ele contempla as suas qualidades, sabe das suas imperfeições, dos seus desejos mais íntimos, das suas carências e preferências. Ele sabe o seu nome e sobre-nome... Enfim, Ele conhece tudo a seu respeito.
Nós temos amizade com as pessoas e pensamos que as conhecemos bem. Contudo, o nível de conhecimento que temos dos outros é muito superficial. 
Pense nas pessoas com as quais convive. Será que você as conhece mesmo? Será que sabe um pouco mais do que o nome delas? Talvez você saiba o seu endereço, a sua profissão, talvez você até conheça sua família, alguns dos seus gostos, mas não sabe o que vai no coração delas.
Por mais íntimo que seja o relacionamento entre as pessoas – como o de um casal, por exemplo, que dorme na mesma cama, divide entre si os problemas, convive no dia-a-dia , não podemos dizer que o conhecimento mútuo seja total. Quantas vezes você se assusta com certos pensamentos aninhados no seu íntimo e, em outras, surpreende- se com algumas das suas reações, não é mesmo? Podemos afirmar que somente Deus o conhece mais do que você mesmo.
*S2* "Estou convencido de que aquele que começou a boa obra em vocês, vai completa-la até o dia de cristo Jesus." (Filipenses 1:6) *S2*

domingo, 29 de agosto de 2010

Sobretudo GUARDE SEU CORAÇÃO!


“O meu povo está sendo destruído porque lhe Falta o conhecimento.” (Oséias 4.6). A Falta do conhecimento tem levado a muitos à destruição. Há algo muito importante que precisamos guardar e é isto que vamos descobrir.
Em Provérbios, no capítulo 4, versículo 23, lemos: “Sobretudo o que se deve guardar, guarda o coração, porque dele procedem as Fontes da vida.” Muitos acham que o coração que a Bíblia menciona é o órgão que bombeia o sangue, este órgão que, se adoecer, pode ser “consertado”, pode ser transplantado. Mas vamos ver a que coração a Bíblia se refere. O que significa coração nas Escrituras?
 
O pregador ao escrever os provérbio aconselha que devemos acima de tudo guardar o nosso coração.
O coração é a sede dos sentimentos, das emoções.(Provérbios 4.23)
Em Provérbios 14.30 está escrito que o coração com tranquilidade é a vida do corpo.
Quanto mais tomarmos cuidado com os sentimentos que guardamos, vida melhor teremos.

Por isso...
  • Não TENHA inveja, ciumes... 1 Pedro 2.1
  • Não TENHA maldade, malícia ....Efesios 4.31; Jeremias 4.14
  • Não TENHA amargura... Hebreus 12.15
  • Não TENHA ressentimento que é uma forma de ódio ... 1 João 2.9; 3.15
  • Não SEJA MUITO  ambicioso, não cobiças... Marcos 4.19; I Timóteo 6.10
 TENHA MUITO cuidado com: 
  • Preocupações... Mateus 6.34
  • Inquietações ...Filipenses 4.6
  • Ansiedades...I Pedro 5.7
  • Cuidados da vida... Lucas 21.34
  • NÃO TENHA Sentimentos impuros no coração... Salmos 24.4.2 Timóteo 2.22; Salmos 51.10
  • Devemos manter um coração alegre - Provérbios 15.13; 17.22
  • Nosso coração deve ser cheio com a Palavra para mante-lo limpo, como falou Jesus ( João 15.3).
  • Guardemos pois o nosso coração, pois somente os limpos de coração verão a Deus ( Mateus 5.8).

 FAÇA ESSA ORAÇÃO 
“Pai, no precioso Nome de Jesus, que tu possas trazer aos teus Olhos graça, entendimento e compreensão das Escrituras para que a tua Palavra não seja apenas proclamada, não seja apenas o “Logos” da letra, mas seja a Palavra “Rhema”, a Palavra viva para o nosso coração. Óh, Senhor, queremos realmente guardar a tua Palavra em nosso coração para não pecarmos contra ti. Queremos conhecê-la para não tropeçar em nada. Que nesta hora haja, no coração de cada um, verdadeira Nomee verdadeiro desejo em conhecer o teu coração. Em nome de Jesus, amém.”
 
 
*S2* "Estou convencido de que aquele que começou a boa obra em vocês, vai completa-la até o dia de cristo Jesus." (Filipenses 1:6) *S2*

sábado, 28 de agosto de 2010

Diferenças Emocionais


A diferença entre o sistema reprodutivo do marido e da esposa deveria servir de símbolo da maravilhosa diferença em sua constituição emocional. Não compreender essa diferença, particularmente da parte do homem, impedirá a completa satisfação que Deus pretendia para a relação entre marido e mulher.
O impulso sexual num homem é quase vulcânico, em sua capacidade latente de entrar em erupção à menor provocação. Ao contrário da mulher, o homem é estimulado pelo olhar.
Não foi por acaso que o Senhor disse do homem, em Mateus 5:28: 

"Eu, porém, vos digo que qualquer que olhar para uma mulher para a cobiçar, já em seu coração cometeu adultério com ela".
Ele não fez essa advertência para a mulher. A razão é clara. A maioria das mulheres não tem o problema de olhar para um homem e desejá-lo. 

Qualquer quartel do exército demonstrará que os homens são estimulados pelo olhar, como se verifica nos quadros com mulheres semi-nuas ou nuas, pendurados nas paredes. Nunca ouvi dizer que uma mulher tivesse quadros de homens nus. O homem é que é estimulado pelo olhar.

A mulher reage a atos e palavras gentis, e às carícias. O homem também responde ao toque, mas de maneira diferente da mulher. As emoções da mulher são menos eruptivas que as do homem, mas, depois de alguns momentos, são igualmente eletrizantes. Suas emoções têm a capacidade de queimar durante mais tempo e de alcançar o clímax mais devagar, mesmo ao ponto de se extinguirem mais lentamente.
Tem-se uma idéia da diferença emocional, mas também da satisfação igual que tanto o marido como a mulher têm.

Essa diferença de estimulação pode ser ilustrada pela simples rotina que se passa em muitos lares todas as noites. O homem, ao ver sua mulher despir-se, pode ficar pronto para o ato matrimonial antes de se deitarem. A esposa, contudo, não sendo estimulada pelo olhar, só estará pronta para deitar-se.
A menos que ele esteja pronto ao ato, e sendo gentil e carinhosamente, expressar seu amor sem egoísmo e, por meio de carícias, dar às emoções dela a oportunidade de chegar ao ponto em que ele está, não estará seguindo a regra áurea do casamento, encontrada em Filipenses 2:3: "Cada um considere os outros superiores a si mesmo".

*S2* "Estou convencido de que aquele que começou a boa obra em vocês, vai completa-la até o dia de cristo Jesus." (Filipenses 1:6) *S2*

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

6ª Chave da felicidade no Casamento " CRISTO"

 
Duas coisas iguais a uma terceira são iguais entre si -é um princípio geométrico bem conhecido. Se duas pessoas estão bem relacionadas de modo pessoal com Jesus Cristo, estarão mais bem relacionadas uma com a outra. Jesus Cristo quer ser o seu SENHOR e SAL­VADOR como indivíduo. Além disso, Ele deseja ser o SENHOR do seu casamento. Se ele o for, o lar que você está construindo experimentará paz e bênção per­manentes. Se Ele não for o cabeça espiritual de seu lar, você nunca experimentará todas as bênçãos que Deus tem para o seu casamento. Jesus disse: "Sem mim nada podeis fazer" (João 15:5).



Se você nunca recebeu a Jesus Cristo, gostaria de sugerir que agora mesmo curve sua cabeça e O convide a entrar em sua vida. Ele disse: "Eis que estou à porta, e bato; se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa e com ele cearei, e ele comigo" (Apocalipse 3:20). Se você deseja que Ele entre em sua vida, tudo o que precisa fazer é pedir-lhe que o faça. Uma vez dentro, ele, através de Seu Espírito, o guiará em todas as áreas da vida e "suprirá toda a sua neces­sidade".



A prova de todo comportamento conjugal em relação a Cristo deve ser: "Está isso sendo feito com a Sua apro­vação? " A Bíblia ensina: "E tudo quanto fizerdes por palavras ou por obras, fazei-o em nome do Senhor Jesus, dando por ele graças a Deus Pai" (Colossenses 3:17). Jesus Cristo está interessado em todas as áreas de sua vida: física, emocional, financeira e espiritual.


Viver de acordo com Sua vontade, como nos é revelado em Sua Palavra, é a coisa mais importante que você pode fazer para assegurar um casamento feliz. Você poderá então dizer:





Cristo é o cabeça desta casa,


Hóspede invisível em todas as refeições,


Ouvinte silente de todas as conversas.


Sem dúvida, Cristo é a maior chave para a felicidade conjugal.







Se você pedir a Deus para ajudá-lo a usar essas chaves, em sua vida e no seu casamento, seu lar será cada vez mais abençoado e feliz.














*S2* "Estou convencido de que aquele que começou a boa obra em vocês, vai completa-la até o dia de cristo Jesus." (Filipenses 1:6) *S2*

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

5ª Chave da Felicidade no Casamento " ORAÇÃO"

Oração
As chaves para um casamento feliz não estariam completas se eu não tivesse inclusive esse tópico a oração. Orar ao Pai é o melhor meio de comunicação entre duas pessoas. Muitos casamentos têm sido completamente transformados por iniciarem a prática regular da oração. Um método que eu recomendo de coração é a oração conversacional. 
O método consiste em cada noite uma pessoa dirigir a oração, orando sobre um assunto de cada vez. Então, o outro cônjuge ora pelo mesmo assunto. Em seguida, o primeiro ora pelo próximo assunto, em seu coração, e seu cônjuge novamente ora pela mesma coisa. Isso se prolongará até que tenham orado aproximadamente sobre cinco a dez coisas. 
Na noite seguinte será a vez do outro cônjuge iniciar as orações, e, assim, por orarem especificamente por aquilo que está no coração da outra pessoa, não demorará muito até que ambos estejam preocupados com a mesma coisa. Meu esposo  e eu descobrimos que, após algumas semanas, não podíamos sequer lembrar quem sentira a preocupação primeiro, mas nos identificamos mutuamente em nossas preocupações. Outra bênção que descobrimos foi que, ao orar, estávamos nos lembrando de compartilhar coisas que havíamos esquecido de compartilhar, devido às atividades intensas da vida. Além disso, essa participação amplia o vínculo comum que existe entre marido e mulher.

Alguém disse: "Você não pode se indispor com o homem com quem ora todos os dias". Alguma coisa sucede quando, humildemente, nos ajoelhamos juntos; isso é emocionalmente benéfico para ambos. A maioria dos casais reconhece que se erguem da oração mais genuinamente entrelaçados do que antes dela. Experimente, e veja.
Quem deve iniciar a oração? Geralmente o marido, que é o cabeça do lar; mas, se ele não o fizer, a esposa pode fazê-lo. O tempo dispendido em orar juntos pode muito bem ser o momento mais precioso de suas vidas.
Não esperem até que as complexidades da vida os levem a se ajoelhar. Se esperarem até que alguma dificuldade apareça para orarem juntos, descobrirão que quanto mais necessitam de Deus, menos O conhecem. Aprendam a conhecê-Lo juntos, em oração, agora, de tal maneira que, quando a pressão da vida aumentar, vocês possam orar a alguém que já conhecem tão bem quanto a um amigo íntimo.



*S2* "Estou convencido de que aquele que começou a boa obra em vocês, vai completa-la até o dia de cristo Jesus." (Filipenses 1:6) *S2*

terça-feira, 24 de agosto de 2010

4ª Chave da Felicidade no Casamento " COMUNICAÇÃO"

 
Comunicação
Jovens que se amam raramente têm problema de co­municação! Parecem ser capazes de conversar sobre tudo. De algum modo, essa capacidade quase sempre desa­parece após se casarem.
A perda de comunicação é, na maioria das vezes, um problema para os casais que me buscam para aconselhamento matrimonial. Se não é perda de comunicação, é comunicação errada. Comunicar-se sob a pressão da raiva e gritar mais alto que o outro constitui tentativa errada de aproximação. Esse tipo de comunicação de­veria ser omitido em todo casamento. Problemas e di­ferenças no casamento não são perigosos — não ser capaz de comunicar as diferenças ou os problemas, isso é que é perigoso. Enquanto duas pessoas puderem manter abertas as linhas de comunicação e expressar livremente seus sentimentos, as diferenças poderão ser resolvidas.
A seguinte declaração de Ann Sanders ilustra a impor­tância da comunicação: "O mais importante ingrediente num casamento é a capacidade de se comunicar. Se minha correspondência reflete o que acontece com o Sr. e a Sra. América por detrás de portas fechadas (e eu penso que reflete), a maior parte dos problemas conjugais provém da incapacidade de duas pessoas man­terem uma conversa. Quão preciosa é a capacidade de se comunicar!. . . O homem e a mulher maduros reconhecem que há unidade no amor, mas, ao mesmo tempo, é preciso haver liberdade para ambos. Cada um necessita manter a sua personalidade e identidade. Um casamento completo deverá significar respeito pelos direitos e privilégios da outra parte. Os casais que são seguros no casamento podem ser honestos a respeito de toda espécie de sentimento. . . Os casais que podem discutir seus problemas, libertar-se de suas hostilidades, beijar-se e fazer as pazes, constróem uma oportunidade excelente de caminharem juntos para a velhice".
Tem sido surpreendente para mim saber que muitos casais partem para um segundo estágio do relaciona­mento matrimonial, primariamente devido a não have­rem aprendido a se comunicar.


Destruidores da Comunicação

Como a parede de resistência à comunicação se le­vanta gradualmente entre duas pessoas que se amam? Naturalmente, nenhum deles planejou a construção de tal parede; ela cresceu desde a primeira barreira na co­municação. O Dr. Henry Brandt partilhou com um grupo de pastores as três armas que as pessoas usam para se defender. Conforme você olha para aquelas três armas, saberá que por usá-las as pessoas casadas constróem, gradualmente, uma parede de resistência tão resistente que não serão mais capazes de se comunicar.

A primeira arma é a explosão. Todas as vezes em que se diz a uma pessoa os seus defeitos, em vez de encará-los honestamente, sua reação natural é explodir. Essa explosão é o resultado da raiva e hostilidade interiores que a levam a buscar uma auto-proteção. O Dr. Brandt mostra que nenhuma nudez é comparável à nudez psico­lógica. Quando alguém, particularmente nosso cônjuge, nos aponta nossas deficiências, tendemos a arranjar al­guma coisa que nos cubra; se acontece sermos de temperamentos sendo sangüíneo ou colérico, estaremos inclinados a utilizar a raiva e a expressá-la através da explosão. O que isso faz é ensinar ao nosso cônjuge que "você não pode chegar muito próximo de minhas fraquezas ín­timas; se o fizer, explodirei".

A segunda arma de auto-defesa que impede a comu­nicação, são as lágrimas. Essa arma é usada na sua maio­ria pelas mulheres; mas, algumas vezes, um homem me­lancólico ou sangüíneo fará uso dela. Como as outras armas, é um modo de dizer ao seu cônjuge: "Não me conte as minhas falhas, ou chorarei!" A primeira rusga após o casamento geralmente deixa a esposa em lá­grimas. Isso ensina o novo marido de que ela tem um ponto fraco, e, subconscientemente, ele tenderá depois a refrear sua comunicação, a fim de não fazê-la chorar. Assim, um outro tijolo é posto na parede que impede a comunicação.
Uma nota é apropriada aqui com referência às lá­grimas femininas. O marido aprende a distinguir entre as lágrimas de emoção de sua mulher, das de cansaço, alegria e auto-piedade. As mulheres são criaturas muito mais complexas do que os homens, e geralmente ex­pressam as suas emoções pelas lágrimas. Não despreze as lágrimas de sua esposa! Seja paciente e bondoso, pois a criatura emotiva que você desposou está se compor­tando como mulher. Na verdade, descobri que a mulher que se deixa levar às lágrimas facilmente, tem maior capacidade de expressar suas emoções em todas as áreas da vida. Normalmente, esse tipo de mulher é mais sen­sível ao carinho e ao ato matrimonial do que aquela que não chora. De fato, há anos atrás cheguei à con­clusão de que as mulheres que choram facilmente, rara­mente são frígidas, e as que não choram geralmente têm as emoções como um bloco de gelo. Desde aquela época, já aconselhei a mais de mil mulheres, e não achei razão para modificar a minha conclusão. Se a sua esposa se expressa emocionalmente, agradeça a Deus! Suas lá­grimas testificam de sua riqueza emocional, que a torna uma mãe compassiva e uma esposa amorosa. Seja parti­cularmente compreensivo durante o período menstrual, pois nesse período ela pode se tornar mais emotiva. Um "afeto muito especial" (A. M. E.) durante esse período é como acumular tesouros no céu — e dá resultados.

A terceira arma é o silêncio. Silêncio é a arma que muitos dos cristãos mais velhos aprendem a usar. Não demora muito que percebamos que não é cristão ficar enraivecido e explodir por toda a vizinhança, quando o nosso cônjuge nos irrita ou aponta as nossas fra­quezas. Também, depois que chegam os filhos, relu­tamos em chorar diante deles; por conseguinte, os cristãos recorrem ao silêncio. Silêncio, contudo, é um instrumento muito perigoso. É perigoso no sentido que rapidamente sufoca a comunicação e se torna um fardo pesado — física e espiritualmente — sobre a pessoa. É preciso um poder tremendo para ficar em silêncio por um longo período de tempo; a raiva pode suprir esse poder. Desde que a raiva é uma das principais causas de úlceras, alta pressão sangüínea e muitas outras doenças, você pode achar que o silêncio é um instrumento muito dispendioso para usar contra o seu cônjuge.

Seria bem melhor se duas pessoas pudessem aprender a comunicar livremente suas diferenças, evitando não somente os problemas, mas também seus efeitos cola­terais. Lembre-se de que toda raiva, zanga e ódio entris­tece ao Espírito Santo (Efésios 4:30-32). Nenhum homem pode andar no Espírito e ficar zangado com a esposa (Gaiatas 5:16).

Como se Comunicar
A Bíblia ensina que devemos "seguir a verdade em amor. . ." (Efésios 4:15). Todos devemos guardar em mente, porém, que quanto mais verdade você disser, mais amor verá em compensação àquela verdade. A ver­dade é uma afiada arma de dois gumes, e por isso use-a com cuidado. Quando houver uma área de seu casamento que necessita comunicação, procure usar os passos se­guintes, de acordo com o seu caso:
Ore para ter sabedoria de Deus e para estar cheio do Espírito Santo. Quando você procura a sabedoria de Deus, poderá descobrir que sua objeção para com o comportamento do seu cônjuge não é realmente válida. Ou pode sentir a orientação do Espírito de Deus para ir em frente e comunicar o seu problema.
Planeje um momento que seja adequado para seu cônjuge. Normalmente, não poderá discutir nada de sério ou de natureza negativa, depois das 22:00 ou 22:30 horas. A vida tende a parecer mais sombria e os problemas se apresentam maiores à noite. Porém, se seu cônjuge não é de se levantar cedo, a manhã também não será a melhor hora Muitos casais acham que depois do jantar é um bom momento para a comunicação. As crianças pequenas podem tornar isso pouco viável, mas  cada  casal  saberá  encontrar uma hora em que estejam no melhor humor, para poderem olhar objeti­vamente para si mesmos.
Fale a verdade com amor - em palavras bondosas, diga exatamente o que está em seu coração. Certifi­que-se de que seu amor é igual à sua verdade.
Não perca a paciência. Casais sábios determinam, logo no início do seu casamento, que não levantarão a voz um para o outro. Sob a ação da raiva, geralmente dizemos mais do que pretendíamos, e em geral esse excesso é ferino, cruel e desnecessário. A raiva por parte de alguém sempre provoca uma reação de raiva em outra pessoa. De maneira bondosa mostre a sua objeção, porém, mostre-a somente uma vez; então confie em que o Espírito Santo usará as suas palavras para efetuar a mudança.
Espere por uma reação. Não se surpreenda se a sua comunicação encontrar uma reação explosiva, particu­larmente nas primeiras fases do casamento. Lembre-se de que você tem a vantagem de saber o que vai dizer; já orou a respeito e pode preparar-se — o seu cônjuge será tomado de surpresa. Não procure se defender, mas permita que seu cônjuge pense sobre o que você disse. Ele pode não admitir nunca que você esteja certo, mas, geralmente, você verá que isso causará transformação em seu comportamento; e, afinal de contas, você está mais interessado nisso do que em simples concordância verbal.
*   Entregue o problema a Deus. Uma vez que tenha falado a seu cônjuge, você já fez tudo o que podia fazer, humanamente falando, para transformar o seu compor­tamento. É nesse ponto que você deve confiar em Deus, tanto para ajudar o seu cônjuge a mudar o hábito a que se opõe, quanto para que o supra da graça necessária para poder viver com ele (Ver II Coríntios 125).

Duas Expressões de Ouro
Há duas expressões de ouro que todo casal deveria comunicar ao seu cônjuge repetidamente, durante toda a vida de casados.

Desculpe. Todo mundo comete erros. Romanos 3:23 mostra que: "Todos pecaram e destituídos estão da gló­ria de Deus". Você pecará contra o seu cônjuge, e ele contra você muitas vezes num casamento normal. Se, contudo, estiver disposto a encarar seus erros e pedir desculpas ao seu cônjuge, notará que a resistência se dis­solverá e um espírito de perdão prevalecerá. Sé não estiver disposto a reconhecer seus erros, então você tem um sério problema espiritual — orgulho.
 Quando estiver errado, encare o erro e admita-o honestamente — tanto para si mesmo como para o seu cônjuge.

Eu te amo é a segunda expressão de ouro num casa­mento. Já mostrei que é absolutamente necessário, a todo ser humano, ser amado. O seu cônjuge nunca se cansará de ouvi-lo dizer o quanto o ama. Essa ex­pressão de amor parece mais significativa para as mu­lheres do que para os homens, mas estou inclinado a crer que as mulheres estão mais propensas a admitir a sua necessidade, embora os homens também a tenham.

Quanto mais o seu côn­juge o ama, mais ele aprecia que você expresse o seu amor. Diga-o de maneira expressiva e com freqüência.
EU TE AMOOOOOO

*S2* "Estou convencido de que aquele que começou a boa obra em vocês, vai completa-la até o dia de cristo Jesus." (Filipenses 1:6) *S2*

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

3ª Chave da Felicidade no Casamento é o AMOR

Amor
A terceira chave que garante a felicidade de um casamento é o amor. Provavelmente nenhuma outra palavra é mais incompreendida do que esta. A maioria das pessoas, hoje em dia, não sabe o que é o amor. Geralmente confundem atração física, sensualidade, desejo pessoal, simpatia ou compaixão, com amor. Amor é uma das experiências mais comuns do homem e uma das mais difíceis de se definir. Webster define-o como "um sentimento de forte ligação pessoal, induzido por uma atraente compreensão, ou por laços de afinidade; afeição ardente".
A Bíblia diz que o amor do marido por sua mulher deverá ser igual ao amor que ele sente por si mesmo. Deus o instruiu para que amasse sua esposa sacrificialmente, como Cristo amou à Igreja e deu Sua vida por ela. Nenhuma mulher se sentirá infeliz se receber essa espécie de amor, e o marido que dá tal amor será o recipiente de um amor sacrificial.
Como Deus, o amor não pode ser visto, mas sabemos de sua existência pelos seus efeitos. É mais fácil descrever o amor do que defini-lo. Apesar de muitos terem procurado descrever o amor, nos anais da literatura não há nada que se compare com as magistrais palavras da pena do apóstolo Paulo, no grande capítulo do amor, I Coríntios 13. Observe a belíssima descrição que aparece no Novo Testamento Vivo (vss. 4-7):
"O amor é muito paciente e bondoso, nunca é invejoso ou ciumento, nunca é presunçoso nem orgulhoso. Nunca é arrogante, nem egoísta, nem tampouco rude. O amor não exige que se faça o que ele quer. Não é irritadiço, nem melindroso. Não guarda rancor e dificilmente notará o mal que outros lhe fazem. Nunca está satisfeito com a injustiça, mas se alegra quando a verdade triunfa. Se você amar alguém, será leal para com ele, custe o que custar. Sempre acreditará nele, sempre esperará o melhor dele, e sempre se manterá em sua defesa".
Henry Drummond, num livro intitulado "A maior coisa do mundo", aponta as nove características do amor, encontradas na passagem citada: paciência, bondade, generosidade, humildade, cortesia, altruísmo, domínio próprio, franqueza e sinceridade. Estude essas características e examine o seu amor, para ver se satisfaz os padrões de Deus.
Essas nove características ou expressões de amor comunicam o amor de um ser humano para outro em termos que são significativos para qualquer um, independente de raça ou de cultura. Naturalmente, ninguém expressará seu amor em todas essas características. Algumas pessoas são pacientes e bondosas por natureza, mas carentes de humildade, generosidade ou lealdade. Outras são naturalmente sinceras e corteses, mas carentes de domínio próprio, e tendem a ser impacientes. Todos os homens necessitam do poder do Espírito Santo para supri-los da espécie de amor que Deus espera que tenhamos para com o nosso cônjuge. O Espírito Santo dá ao cristão (ver Gaiatas 5:22,23) a capacidade de demonstrar um amor completo.
O amor que Deus espera do marido por sua mulher, e desta por aquele, sem dúvida é sobrenatural. Auto preservação é a primeira lei da vida; portanto, amar a outra pessoa como a seu próprio corpo requer uma espécie sobrenatural de amor. Não é possível ao homem amar dessa maneira por seus próprios recursos. Contudo, desde que Deus nunca nos manda fazer aquilo que Ele não nos capacita a fazer, poderemos clamar a Ele, o autor do amor, pois sabemos que nos suprirá desse tipo de amor sobrenatural. A Bíblia nos diz: "Amados, amemo-nos uns aos outros, porque o amor é de Deus; e todo o que ama é nascido de Deus e conhece a Deus" (I João 4:7).
Tanto o marido quanto a mulher recebem a ordem de se amarem um ao outro, mas deve-se salientar que se a esposa recebe uma vez a ordem de amar ao esposo (ver Tito 2:4), o marido recebe pelo menos três vezes a ordem de amar sua mulher (ver Efésios 5:25,28,33). A razão, provavelmente, é que as mulheres, por natureza, possuem maior capacidade para amar.

O Amor é Bondoso
Uma das primeiras características do amor é a bondade. De alguma forma, muitos daqueles que têm problemas no casamento, se esqueceram de mostrar bondade. Querem recebê-la, mas se esquecem de dá-la. Um casal que havia contraído matrimônio há alguns anos, estavam prontos a desistir, ainda que sentissem que restava um pouco de amor em seu casamento. 0 problema é que eram muito mordazes, sarcásticos e ferinos um para com o outro. Devemos memorizar as nove características do amor, e, desde que evidentemente não havia bondade de um para com o outro,  faça  uma "verificação de bondade". Em outras palavras, todas as vezes que disserem alguma coisa um para o outro, deveriam se perguntar: "Fui amável? " Em caso negativo, deveriam se desculpar e buscar a graça de Deus para serem bondosos. Obviamente,vai ser difícil por algum tempo, mas, dentro de dois meses esse casal havia se reorientado a si mesmo ao ponto de serem capazes de ser bondosos um com o outro, e o resultado foi a renovação de uma genuína afeição mútua.

O Amor Mostra Aprovação
A maioria dos psicólogos concorda em que as necessidades básicas do homem são amor e aprovação. Quanto mais amamos a alguém, mais naturalmente buscamos sua aprovação. Por essa razão, se uma pessoa não expressa seu amor mostrando, ocasionalmente, aprovação, terá um companheiro insatisfeito.

Honestamente, acredito que a desaprovação é uma forma mais perversa de infringir punição a um ser humano do que a agressão física. E o mais triste é que as coisas que as pessoas desaprovam em seu cônjuge geralmente ultrapassam as proporções, tornando o problema maior do que é. Muito marido deveria admitir que tem uma boa esposa e que o que o incomoda compreende de dez a quinze por cento da pessoa total. Seu problema é que ele tem se concentrado demais na parte negativa ao invés de agradecer a Deus pela positiva. É bom que freqüentemente se pergunte: "Eu demonstro aprovação pelo meu cônjuge? " Essa aprovação deverá ser expressa tanto publicamente, para assegurar aos seus amigos que você ama ao seu cônjuge, como na intimidade. Muito marido tem conseguido uma casa melhor arrumada por haver elogiado a esposa naquelas áreas em que ela é cuidadosa, ao invés de condená-la por aquelas em que ela não é caprichosa. Esteja seguro de uma coisa: o seu cônjuge precisa de sua aprovação, para seu ajustamento na vida e no casamento. A maioria das pessoas reage melhor ao elogio do que à condenação.

O Amor Pode ser Reacendido

"Eu não amo mais o meu marido!" disse uma jovem cujo marido não era cristão. Ela estava procurando a solução pelo caminho errado — o divórcio. O fato de você não amar seu cônjuge não significa falta de amor por parte dele, mas revela, isso sim, sua própria falta de amor. Deus lhe dará amor por seu cônjuge, se você buscá-lo!
Como já vimos, o amor é de Deus (I João 4:7). Se você quer amor ao seu cônjuge, poderá fazê-lo! Deus ordenou que você o amasse, e Ele o tornará capaz de fazê-lo, se você lho pedir. De fato, a primeira característica da vida cheia do Espírito é "amor" (Galatas 5:22). Se você sentir que seu amor começa a diminuir, vá ao Pai, o autor do amor, e Ele lhe dará um novo amor para com seu cônjuge. Basta pedir! Você pode inclinar-se a dizer: "Mas será que vale a pena? " ou: "E se o meu cônjuge não for merecedor disso? " Isso nada tem a ver com o assunto. Você deverá amar ao seu cônjuge por amor do Senhor; mas, devido ao princípio de se colher o que se planta, o amor lhe trará amor. Se você for a Deus confiante de que Ele suprirá você de amor por seu cônjuge, então a lei divina trará amor para você.
A jovem acima mencionada orou  a Deus por aquela espécie de amor, e o recebeu. Logo após o culto, recentemente, ela me disse: "Você não imagina o quanto Deus tem feito retornar a mim o amor que tenho dado ao meu marido! Na verdade, ele nunca esteve tão amoroso, em todos estes  anos de casados".

As Mulheres Reagem ao Amor

Nunca me canso de maravilhar-me diante da resistência do amor de uma mulher. As mulheres têm-me dito coisas a respeito de seus maridos que poderiam lhes dar o título de "o pior homem da cidade". No entanto, elas terminam dizendo: "Mesmo assim eu o amo". Os homens nunca agüentariam as coisas que a maioria das mulheres é forçada a suportar. Deve ser um prolongamento do amor de mãe, o qual encaramos como a maior ilustração de amor humano. Qualquer que seja a causa, estou convencida de que a mulher tem maior capacidade de amar o homem do que o homem de amar a mulher. Ainda estou para ver uma mulher que não reaja ao amor.
Nenhum homem em sã consciência se apresentaria como uma autoridade sobre as mulheres. A maioria dos homens diz que as mulheres são complexas, e realmente o são. Cheguei a uma conclusão básica: a maior parte dos homens não sabe como fazer uma mulher feliz. Aprendi que não é dinheiro, diamantes,  casas, ou outras coisas, que tornam uma mulher feliz, mas simplesmente o amor. 
Não é a parte sexual do amor, mas o tratamento que leva a esta — bondade, delicadeza, compreensão, aceitação ou aprovação, e o fato do marido reconhecer que não é completo sem ela. 

Feliz é a esposa cujo marido sabe e lhe diz que se tivesse de recomeçar tudo desde o início, faria a mesma escolha no casamento. Sempre que um homem me diz: "Minha esposa não me tem mais amor", no mesmo instante sei que ele não tem amado sua esposa "como a seu próprio corpo". Se o tivesse feito, ela o amaria em troca — pois é exatamente essa a natureza da mulher.




*S2* "Estou convencido de que aquele que começou a boa obra em vocês, vai completa-la até o dia de cristo Jesus." (Filipenses 1:6) *S2*

domingo, 22 de agosto de 2010

2ª Chave da Felicidade no Casamento!

 Submissão
Nenhuma organização pode funcionar devidamente se possui duas cabeças. Isso é particularmente verdadeiro no lar. Um dos maiores obstáculos para um lar feliz, hoje em dia, é a falsa noção de que a mulher não tem de submeter-se ao marido. Os psicólogos e educadores modernos parecem dar à mulher a idéia de que a sub­missão é uma noção antiquada que teve seu fim junto com o século XIX. Mas quando a submissão deixa um lar, a felicidade também se vai.
Temos hoje mais mulheres, homens e crianças frus­trados do que em qualquer outra época. Com a degra­dação da imagem do pai e a crescente dominação da mãe, temos testemunhado um aumento da delinqüência juvenil, da rebelião, da homossexualidade e do divórcio. 
Deus pretendeu que o homem fosse o cabeça do lar. Se não o é, não terá um senso de responsabilidade, mas sentirá que é casado com uma segunda mãe. Seus filhos logo perceberão quem é o "chefe", e, como adoles­centes, perderão o respeito natural pelo pai, o que é mister para se ajustarem na vida.
Geralmente um lar dominado pela mulher é um lugar de dissensões, até que, finalmente, o marido desiste. Ele então se esconde em sua concha de introversão e se de­genera num ser sub-humano. A coisa mais triste é que a esposa eventualmente desprezará o marido que ela domina.

Um Mandamento de Deus

A esposa cristã deve ser submissa a seu marido! Gos­tando ou não, a submissão é um mandamento de Deus, e sua recusa em cumpri-lo é um ato de desobediência. Toda desobediência é pecado; logo, ela não pode esperar a bênção de Deus em sua vida, a menos que deseje obe­decer a Ele. As passagens seguintes das Escrituras esta­belecem esse fato:
"E à mulher disse: Multiplicarei grandemente a dor da tua concepção; em dor darás à luz filhos; e o teu desejo será para o teu marido, e ele te dominará" (Gênesis 3:16).
"Vós, mulheres, submetei-vos a vossos maridos, como ao Senhor; porque o marido é a cabeça da mulher, como também Cristo é a cabeça da igreja; sendo ele próprio o Salvador do corpo. Mas, assim como a igreja está  sujeita  a  Cristo,  assim  também  as mulheres o sejam em tudo a seus maridos" (Efésios 5:22-24). "Semelhantemente   vós,   mulheres,   sede   submissas a vossos maridos; para que também, se alguns não obedecem à palavra, sejam ganhos sem palavra pelo procedimento de suas mulheres, considerando a vossa vida casta, em temor" (I Pedro 3:1,2). 
A recusa de muitas esposas cristãs em aceitar o prin­cípio de submissão é cada vez mais comum hoje em dia., pode-se ver a tendência universal das mulheres de rejeitarem essa ordem de Deus.

O Instrumento de Deus para sua Felicidade

Deus nunca manda as pessoas fazerem o que é impos­sível ou que não é bom para elas. 0 Espírito Santo pergunta, em Romanos 8:32: "Aquele que nem mesmo a seu próprio Filho poupou, antes o entregou por todos nós, como nos não dará também com ele todas as coisas? " A resposta a isso é que se Deus nos ama tanto que entregou seu Filho para morrer por nós, certamente nos dará todas as coisas que são para o nosso bem. Por­tanto, aceite pela fé o fato de que a submissão ao ma­rido é um bem para a mulher.
Entre trinta e cinco e quarenta e cinco anos, a mulher geralmente alcança um período em que ela deseja cada vez mais se tornar dependente. E se ela for agressiva nos primeiros anos do casamento e dominar seu marido, ela o ensinará a ser dependente dela. Então, quando ela al­cançar a idade na qual deseja depender de um homem, descobrirá que criou um dependente e que não tem ninguém em quem se apoie. Tenho visto muitas mu­lheres nesse período chegarem a desprezar o homem que, durante seus anos de juventude, ela treinou para ser um esposo dócil e submisso.
É fácil perceber que esposas dominantes têm causado grande infelicidade ao casamento, tanto para si mesmas como para seus cônjuges. Num ato de fé, a mulher cristã deve aceitar que, para a sua felicidade permanente e a do marido, é essencial que ela seja obediente a Deus e se coloque em sujeição a seu marido.


Submissão não Significa Escravidão
Quando a mulher Cristã busca a graça de Deus e a luz do Espírito Santo para capacitá-la a se submeter ao ma­rido, não está correndo o perigo de se tornar uma escrava. Tenho visto muitas vezes mulheres procurarem ser submissas por motivo espiritual, e acabarem desco­brindo que a reação dos maridos é de delicadeza e bon­dade, o que veio pôr ponto final nas hostilidades entre eles. Geralmente, uma mulher descobre que se sente melhor quando é submissa do que quando é dominadora. Certamente, ela terá uma comunhão mais preciosa com Deus quando for obediente a seu marido por amor ao Senhor, do que quando desobedecer a Deus, domi­nando ao marido.
Submissão não significa que uma mulher não pode dar sua opinião, "seguindo a verdade em amor" (Efésios 4:15), mas que deve procurar ser submissa aos desejos do marido quando ele tomar uma decisão e concordar, sempre que for humanamente possível, com suas exi­gências. Haverá ocasiões em que ela terá de fazer alguma coisa que realmente não queira; mas, semeando as se­mentes da obediência, naquele particular, ela colherá bênçãos em muitos outros. Lembre-se sempre de que você colherá mais do que tiver semeado. Se você semear submissão, em obediência a Deus, colherá bênçãos em abundância; se você semear rebelião, em desobediência à vontade de Deus, colherá abundante infelicidade. Al­gumas mulheres têm um temperamento mais agressivo do que o dos maridos, e, realmente, é mais difícil para essas serem submissas. De fato, o único modo que co­nheço de elas poderem fazê-lo é reconhecerem que se trata de uma responsabilidade espiritual. Quando esse fato estiver firmado em sua mente, qualquer mulher poderá buscar a graça de Deus para ser a pessoa sub­missa que Ele deseja que ela seja.
Quando a Mulher se convence da necessidade de se submeter a seu marido, pela graça do Senhor, pede a Deus para ajudá-la a "morder a língua" e cortar sua inclinação intuitiva de tomar decisões espontâneas — e esperar que seu marido tomasse as decisões, o fato interessante é que quanto mais a Mulher é submissa, mais o marido lidera; quanto mais ele lidera, mais feliz fica; e quanto mais feliz ele fica, mais feliz a Mulher ficará. O casamento  é  transformado gradualmente, passarão a uma nova situação de amor genuíno e respeito um pelo outro. Sejam um casal e um exemplo vivo do fato de que a submissão da mulher ao marido é a chave para um casamento feliz.


*S2* "Estou convencido de que aquele que começou a boa obra em vocês, vai completa-la até o dia de cristo Jesus." (Filipenses 1:6) *S2*