terça-feira, 22 de novembro de 2011

Qual a Importância da Confiança no Casamento?


ATENÇÃO MULHERES

Infelizmente, tenho visto mulheres impedirem seus maridos de compartilhar suas conquistas e problemas com ela. Se o marido finalmente se abre para a mulher, e o que ele diz é diminuído, contado aos outros, ridicularizado ou rejeitado, ele com certeza vai fechar a boca.
Segurança, aceitação e apoio são essenciais se for para o homem se abrir com você, na verdade o que ele quer é confiar que o que ele te contou, você não venha compartilhar com os outros ou que isso que era pra ser um segredo entre vocês venha ser usado contra ele.
A confiança é uma questão importantíssima, e sem essa confiança entre você e seu conjugê, pode ocorrer um distanciamento entre vocês, quando as mulheres discutem abertamente com as outras pessoas o que foi lhe confiado por seu esposo, por exemplo:
 (1) contar as coisas pes­soais que acontecem entre elas e seus maridos;
(2) falar sobre suas finanças;
(3) como ele se sente com relação aos pais; e
(4) com o que se preocupa no traba­lho. 

Faça um sacrificio, mesmo que queira muito falar com mais alguém, se controle e guarde o que seu marido compartilhou com você, não irradie para o mundo todo.
O marido tem medo de se abrir de fato com sua esposa com receio de ela não confiar nele e com isso ele acaba mentindo e lhe ocultando alguma situação.
Você não precisa resignar-se a viver com um homem inexpressivo. Tornar-se fatalista não é a resposta. Também não estou falando em se divorciar dele.
"Não se preocupe tanto por os homens não expressarem sentimentos. É assim que eles são!" Se você ouvir essa desculpa, não dê ouvidos. Os homens têm a tendência de ser assim, mas podem mudar. Desafios ou censuras não funcionam. Convites cuidadosamente expressos funcionam.
Os homens de fato reagem inicialmente a perguntas que suscitam respostas baseadas em fatos. É mais fácil o homem contar à esposa o que ele faz no trabalho do que como se sente a respeito disso. Ele pode contar como se saiu nos esportes ou na escola quando era garoto mais facilmente do que como se sente a respeito do que faz agora. Mas começar com os fatos é uma introdução aos seus sentimentos, isso funcionou comigo.
O homem precisa de sua ajuda no processo de se abrir. Ele precisa ver como será sua reação para que consiga compartilhar com você, é como uma participação na vida dele, não uma intromissão, ele tem que sentir que você, esta disposta a ajuda-lo e no que for necessario apoia-lo. Ele precisa ver que você não quer só conhecer seus sentimentos para usá-los contra ele depois, mas antes para envolver-se mais intimamente com ele, conhecê-lo melhor. Ele precisa ver que seu desejo não é de controlá-lo, mas de partilhar com ele. Ele precisa conhecer a extensão do seu cuidado para com ele e saber que você o apoiará e guardará para si o que ele disser.[1] 
Da mesma maneira que o homem tem receio, da mesma forma a mulher, também tem seus receios se pode mesmo contar com seus maridos.
Precisamos compreender um ao outro, sentir a confiança para compartilhar tudo, da mesma maneira que você contar pra sua melhor amigo ou amigo e guarda a sete chaves um segredo compatilhado, faça o mesmo com seu conjugê. Meu esposo é o meu melhor amigo, conversamos sobre tudo, ambos nos abrimos e compartilhamos muitas coisas. Mas temos muito que melhorar, a cada dia um novo aprendizado e fortalecendo sempre a confiança um no outro.

Com carinho, na fé 
Mírian


[1] Wricht Understanding the Man in Your Life.p. 100,1,adaptado.



*S2* "Estou convencido de que aquele que começou a boa obra em vocês, vai completa-la até o dia de Cristo Jesus." (Filipenses 1:6) *S2*

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Ajude seu companheiro a se Expressar

Lembre-se destes pontos:
Não rotule a resistência do seu homem em mostrar seus sentimentos como conseqüência de ele ser insensível e desinteressado. Você está lhe pedindo que expresse algo que ele não foi treinado para expressar. Ele tem sentimentos, sim, e não é insensível. Só porque é versado em pensamentos e idéias não significa que ele seja assim com suas emoções.


Para alguns homens, a palavra "sentimentos" é uma palavra explosiva. Ela os detona e suas defesas se intensificam. Eles ouviram as mulheres conversando sobre seus sentimentos ou foram pressionados a compartilhá-los com resultados limitados.
Escolha uma hora que seja boa para ambos. Diga-lhe que há algo que você quer saber sobre si mesma e que precisa da ajuda dele por apenas alguns minutos. Peça-lhe que se recorde de algo interessante ocorrido recentemente e faça com que ele lhe conte a respeito. Faça com que ele saiba que você quer ver quanto chega perto de descrever a reação interior dele àquela situação. Quando descrever para ele o que você acha que ele sentiu, use um quadro verbal ou uma analogia emocional. "Aposto que se sentiu como se um elefante tivesse pisoteado você", ou "aposto que se sentiu como se alguém estivesse o dia inteiro colado atrás de você na rodovia", ou "aposto que você se sentiu como uma toalha molhada e torcida!"

Pergunte se você chegou perto ao descrever a reação interior dele. Talvez queira pedir-lhe que use sua própria analogia para esclarecer o que aconteceu. A frase "reação interior" é menos ameaçadora e apela para a mente cognitiva dele. Pode tornar-se muito mais fácil para ele expressar o que de fato ocorreu interiormente.[1]
Não o pressione para responder imedia­tamente. É bem provável que ele tenha de pensar para conseguir adentrar seus sentimentos a princípio. Encoraje-o a tirar alguns minutos para "pensar" sobre qual foi sua "reação interior". Se ele for introvertido, definiti­vamente precisará primeiro de tempo para pensar sobre a questão.
Evite ser vaga quando compartilhar seus sentimentos. Ele gosta de coisas específicas, um alvo e um programa. Faça com que ele saiba que você é mais orientada para processos e que precisa dele ou para ouvir sobre seus sentimentos ou para dar uma opinião. Não pense em voz alta. Como a maioria dos homens pensa numa só coisa por vez, isso o confundirá e impedirá de concentrar-se. Faça-o saber seu estilo de comunicação e afirme o dele. Afirme qualquer tentativa da parte dele.

Nunca, mas nunca mesmo, interrompa quando ele estiver expressando um pensamento ou sentimento. Atenha-se ao assunto, a maio­ria dos homens não pensa tangencialmente. Eles pensam em linha reta e, quando estão conversando com outra pessoa, homem ou mulher, se aborrecem se essa pessoa muda de um tópico para outro.
Se você o interromper, ele interpretará como se estivesse errando na forma de se comunicar. Nunca julgue o valor dos seus sentimentos quando ele chegar a compartilhá-los.
Se seu marido estiver lutando para compartilhar o que está sentindo, pergunte: "Tudo bem se eu fizer algumas perguntas para me ajudar a entender o que está acontecendo?" Em geral, a resposta será afirmativa.
Você poderia usar perguntas como estas:
"Há algo com o que está decepcionado no momento?"
"Há alguma coisa da qual está com medo no momento e que é difícil de admitir?"
"Há alguma coisa com a qual você está frustrado ou zangado neste momento?"
"Alguém fez algo que o magoou de alguma forma?"

E se você lhe pedir que compartilhe mais o que sente e ele responder com "E que não sei como fazer isso. Se soubesse, faria"? 
Se você disser: "Olhe, não é tão difícil. Simplesmente comece a falar sobre o assunto", não espere muito em termos de resposta. Ele não sabe como fazer isso e precisa de ajuda.
Uma resposta sua melhor seria: "Aprecio você me contar isto. Posso entender como pode ser frustrante. Se quiser algumas sugestões, é só dizer.” Espere para ver como ele reage. 

Per­mita-lhe compartilhar o que está sentindo à sua própria maneira e sentir-se no comando de como expressa seus sentimentos.
Aprenda a ser sensível aos seus dias e disposição, e toda vez que ele começava a compartilhar algumas das suas frustrações eu ouvia e ouvia bem. Ele não queria um diálogo ou alguém para solucionar seus problemas. Queria desabafar, e eu queria ouvir!"
Depois que ele tiver compartilhado, agradeça-lhe. Faça-o saber quanto isso significa para você e pergunte se há alguma coisa que você possa fazer para facilitar as coisas para ele. Antes de ele sair para o trabalho de manhã, pergunte sobre o que você pode orar por ele nesse dia. Isso lhe dá algo específico sobre o que conversar no fim do dia.

Tente fazer e isso e depois me conte como foi sua experiência em conversar com seu marido e como vocês estão se comunicando agora.

Com Carinho, na fé Mírian



[1] Kiley, Dan. What to Do When He Won't Change. Nova York, Fawcett Crest, 1987. p. 140, Adaptado.


*S2* "Estou convencido de que aquele que começou a boa obra em vocês, vai completa-la até o dia de Cristo Jesus." (Filipenses 1:6) *S2*

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

PASSOS IMPORTANTES PARA IDENTIFICAR SEUS PRÓPRIOS ERROS

Não é fácil tirar a viga do próprio olho, mas deixe-me sugerir três passos detalhadamente explicado que o ajudarão a fazê-lo.

PRIMEIRO PASSO: PEÇA AJUDA EXTERNA 

A maioria das pessoas não consegue identificar os próprios erros sem ajuda externa. Estamos tão acostumados com nosso modo de pensar e agir que não somos capazes de reconhecer quando ele é disfuncional ou negativo. Eis algumas formas de identificar a viga em seu olho:

  • Converse com Deus
Para alguns pode parecer estranho, mas se você deseja entender melhor seu problema, sugiro que peça o conselho de Deus. Você pode orar assim: "Deus, o que de errado comigo? Onde tenho falhado com meu cônjuge? Que palavras ou atitudes têm sido nocivas? Em que tenho me omitido? Por favor, mostre-me minhas fraquezas".
 Orações simples como essa têm sido feitas e respondidas há milhares de anos. Veja esta oração dos Salmos, escrita por volta de 1000 a.C. por Davi, o segundo rei de Israel: "Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração; prova-me, e conhece as minhas inquietações. Vê se em minha conduta algo te ofende, e dirige-me pelo caminho eterno". Quando orarmos desse modo, Deus certamente responderá.  Salmos 139:23-24.
Se você está pronto, dedique quinze minutos para pedir a Deus que mostre suas fraquezas no casamento e, em seguida, faça uma lista daquilo que lhe vier à mente.
Eis as listas anotadas por um casal depois de fazer essa oração. (Sugiro que você faça a própria lista antes de ler estes exemplos.) 

Marido
1. Passo tempo demais assistindo à televisão.
2. Preciso ajudar mais no serviço da casa.
3. Não uso meu tempo com sabedoria.
4. Nem sempre sou gentil com ela.
5. Não converso com ela até chegarmos a um acordo.
6. Não ouço suas idéias.
7. Passamos pouco tempo juntos.
8. Graças à minha atitude, ela tem medo de expressar suas opiniões.
9. Não oramos juntos como deveríamos.
    10. Preciso parar de olhar os defeitos dela e ver os meus.


Esposa
1. Não lhe dou incentivo.
2. Coloco minhas necessidades antes das dele.
3. Às vezes, eu o humilho.
4. Não sou tão afetuosa quanto deveria.
5. Espero que ele faça as coisas à minha maneira.
6. Às vezes, uso palavras ríspidas e insensíveis.
7. Passo tempo demais na frente do computador.
8. Não sou sensível à linguagem do amor dele.
9. Não gosto de admitir quando estou errada.
10. Não passo tempo suficiente com Deus.
11. Dedico mais tempo e energia a nosso filho do que a nosso casamento.
12. Guardo erros do passado e menciono-os quando estamos discutindo.
13. Preciso parar de olhar os defeitos dele e ver os meus.

  • Converse com seus amigos
Além de conversar com Deus, você também pode conversar com alguns amigos íntimos que têm observado você e seu casamento.
Diga-lhes que está tentando melhorar o casamento e precisa de honestidade total da parte deles. Peça-lhes para expressar com franqueza a opinião deles acerca de suas atitudes e de seus comportamentos, especialmente em relação ao cônjuge. Garanta que vocês continuarão sendo amigos, mesmo depois de eles dizerem a verdade — aliás, justamente por causa da amizade, pode confiar na sinceridade deles. Não discuta com seus amigos. Simplesmente tome nota das observações deles.
Quando uma esposa fez esse pedido a uma amiga, esta perguntou: "Você quer mesmo honestidade total?". Quando a esposa confirmou, a amiga disse: "Você critica seu marido na frente de outras pessoas. Fiquei com pena dele em várias ocasiões. E constrangedor". Pode ser difícil ouvir a verdade (em alguns casos será muito difícil), mas se você não ouvir, nunca tomará as providências necessárias para mudar e nunca realizará seu objetivo de ter um casamento melhor.
Um amigo disse a um marido que lhe pediu sua opinião: "A meu ver, você tenta controlar sua esposa. Na semana passada, por exemplo, ela estava na entrada da igreja conversando com outra senhora e você a interrompeu, dizendo: 'Nós temos de ir', como se fosse o pai dela dando-lhe uma ordem". Muitas vezes, os amigos podem ajudá-lo a ver em si mesmo coisas que você jamais imaginaria.

  • Converse com seus pais e com a família de seu cônjuge
Se você for bastante corajoso e tiver um relacionamento próximo com seus pais, sogros e cunhados, pode pedir a opinião deles também. Comece a conversa dizendo que está tentando melhorar seu casamento e procurando as áreas em que você precisa mudar. Lembre-se de não responder aos comentários nem começar uma discussão. Simplesmente anote as observações e agradeça a sinceridade.

  • Converse com seu cônjuge
Agora, se você não está para brincadeira, peça algumas informações a seu cônjuge. Você pode dizer: "Querido(a), desejo muito melhorar nosso relacionamento. Sei que tenho várias deficiências, mas desejo trabalhar naquilo que é importante para você. Assim, ficaria agradecido(a) se você fizesse uma lista das atitudes ou palavras que o(a) têm incomodado(a) ou das áreas em que tenho sido omisso(a). Quero tratar dessas deficiências e tentar agir de forma diferente no futuro". Não discuta sobre a lista de seu cônjuge nem responda aos comentários. Simplesmente receba a informação e agradeça-lhe por ajudá-lo a tornar-se uma pessoa melhor.

SEGUNDO PASSO: REFLITA SOBRE AS INFORMAÇÕES QUE VOCÊ JUNTOU 

Ao juntar essas listas, você terá em mãos informações valiosas sobre si mesmo e como se relaciona com seu cônjuge do ponto de vista de Deus e de pessoas de convívio mais próximo. Agora é hora de lidar com essa informação, evitando, porém, criar racionalizações defensivas para os comentários recebidos. E o momento de aceitar a possibilidade de que essas perspectivas refletem alguma verdade. Usando as listas como referência, relacione o que você acha que deve mudar ao tratar seu cônjuge.
Sugiro que personalize cada frase, começando com o pronome "eu", de modo a indicar com honestidade a consciência das falhas em seu comportamento. Por exemplo: "Eu reconheço minha facilidade em ficar irritado e dizer coisas que magoam meu cônjuge". Começar as frases com "eu" as mantém pessoais. Inclua declarações sobre coisas que você deveria fazer, mas não faz, e coisas que você faz, mas não deveria. Por exemplo, além da declaração sobre ficar irritado com facilidade e magoar seu cônjuge, talvez você possa dizer: "Não uso palavras positivas e encorajadoras com meu cônjuge com tanta freqüência quanto deveria".
Nesse momento de reflexão, seja o mais honesto possível consigo. Você pode pedir a Deus para ajudá-lo a avaliar suas falhas com sinceridade. Não procure se justificar ou desculpar seu comportamento com base no comportamento de seu cônjuge; será apenas uma tentativa inútil de racionalizar. Você só conseguirá remover a viga do olho quando parar de encontrar desculpas para seus erros. 

TERCEIRO PASSO: CONFESSE 

O poder emocional e espiritual da confissão é conhecido de longa data. Confessar os erros nos liberta da escravidão das falhas do passado e nos abre os olhos para a possibilidade de comportamentos diferentes no futuro. Sugiro que você comece confessando seus erros a Deus. Eis a confissão do rei Davi, escrita depois que Deus lhe mostrou como ele havia falhado. Talvez você não apresente sua confissão de forma tão poética quanto Davi, mas as palavras do rei podem ajudá-lo a se expressar.
 Oração de Davi:
Tem misericórdia de mim, o Deus, por teu amor; por tua grande compaixão apaga as minhas transgressões.
Lava-me de toda a minha culpa e purifica-me do meu pecado. Pois eu mesmo reconheço as minhas transgressões, e o meu pecado sempre me persegue.
Contra ti, só contra ti, pequei e fiz o que tu reprovas, de modo que justa é a tua sentença e tens razão em condenar-me.
Sei que sou pecador desde que nasci, sim, desde que me concebeu minha mãe.
Sei que desejas a verdade no íntimo; e no coração me ensinas a sabedoria.
Purifica-me com hissopo, e ficarei puro; lava-me, e mais branco do que a neve serei.
Faze-me ouvir de novo júbilo e alegria, e os ossos que esmagaste exultarão.
Esconde o rosto dos meus pecados e apaga todas as minhas iniqüidades.
Cria em mim um coração puro, ó Deus, e renova dentro de mim um espírito estável.
Não me expulses da tua presença, nem tires de mim o teu Santo Espírito. Devolve-me a alegria da tua salvação e sustenta-me com um espírito pronto a obedecer. Salmos 51:1-12 .

O verbo "confessar" significa, literalmente, "concordar com". Quando confessamos algo a Deus, concordamos com ele que agimos ou nos expressamos erroneamente. A confissão é o oposto da racionalização. Não procura minimizar nossas falhas; antes, reconhece abertamente que nosso comportamento é indesculpável.
O Deus revelado na Bíblia é um Deus pronto a perdoar todos que reconhecem seus pecados. Veja esta citação: "Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para perdoar os nossos pecados e nos purificar de toda injustiça".(l João 1:9).
O Novo Testamento ensina por que Deus pode perdoar nossas faltas e ainda ser um Deus de justiça: porque Cristo levou sobre si o castigo por nossos pecados. O castigo final pelo pecado é a morte. Uma vez que Cristo levou esse castigo sobre si em nosso lugar, Deus pode nos perdoar. O preço já foi pago por Cristo. Essa é a essência da fé cristã.
No entanto, a confissão de suas faltas não pode ficar só no reconhecimento diante de Deus. Também é necessário confessar à pessoa envolvida — nesse caso, seu cônjuge. Depois de se confessar a Deus, você precisa criar coragem e se confessar a seu cônjuge. Sua confissão pode assumir a seguinte forma: "Estive pensando sobre nós dois e percebi como tenho falhado com você em vários sentidos. Um dia desses, fiz uma lista dessas falhas. Pedi a Deus para me perdoar por elas e, se você tiver algum tempo para me ouvir, gostaria de lhe falar sobre o que eu escrevi e pedir seu perdão. É meu desejo sincero agir de forma diferente no futuro, e creio que preciso começar por aqui". 

A maioria dos cônjuges se mostrará disposta a perdoar quando ouvir uma confissão sincera. Caso tenha ocorrido uma violação grave de seus votos matrimoniais, talvez leve tempo para restaurar a confiança. No entanto, o processo de restauração começa com um ato genuíno de confissão.
Se você conversou com seus pais, sogros ou cunhados sobre suas deficiências no casamento, talvez seja apropriado confessar-lhes seus erros também e pedir perdão. Essas confissões são extremamente valiosas no processo de restauração da confiança, do respeito e de um relacionamento saudável com eles. Mesmo que não tenha pedido a opinião dessas pessoas, se você perceber que estão cientes de suas faltas no casamento, pode ser bom se confessar a seus pais e à família de seu cônjuge.

Referência:
Gary D. CHAPMAN, AS cinco linguagens do perdão, São Paulo: Mundo Cristão, 2007

*S2* "Estou convencido de que aquele que começou a boa obra em vocês, vai completa-la até o dia de Cristo Jesus." (Filipenses 1:6) *S2*

sábado, 10 de setembro de 2011

Viva uma vida em Santidade



Muitos maridos têm sido conquistados para Cristo por causa da atitude de constante fidelidade da esposa para com ele.
A mulher não deve tentar modificar o marido; ela precisa apren­der a aceitá-lo exatamente como é.
Alguns maridos se tornam muito exigentes e até impertinentes quando o Espírito Santo começa a convencê-los de pecado.
Geralmente, este período é de muito sofrimento e provação para a família, principalmente para a esposa. Ele precisa ser cercado de um espírito de oração e compreensão; ela precisa da plenitude do Espírito Santo para permanecer firme e calma.
É desígnio de Deus que a mulher se submeta ao marido, mesmo que ele não seja crente.

"Mulheres, sede vós, igualmente, submissas a vossos pró­prios maridos, para que, se alguns deles ainda não obede­cem à palavra, sejam ganhos, sem palavra alguma, por meio do procedimento de suas esposas, ao observarem o vosso honesto comportamento cheio de temor." (1 Pe 3.1,2 )

"Não seja o adorno das esposas o que é exterior, como frisado de cabelos, adereços de ouro, aparato de vestuário; seja, porém, o homem interior do coração, unido ao incor­ruptível de um espírito manso e tranquilo, que é de grande valor diante de Deus." (1 Pe 3.3,4.)
 
A maioria de nós, mulheres precisamos ser:
Ser controladas pelo Espírito de Deus; e ler regularmente a Palavra de Deus.
Amadas precisa­mos passar pelo menos de 5 a 15 minutos diariamente lendo a Bíblia, a fim de crescermos e caminharmos no Espírito.
Assim como nos olhamos ao espelho toda manhã para nos arrumarmos, assim também nos miramos no espelho da Palavra para nos cuidarmos espiritualmente.
Como isso poderemos transmitir a quem esta a nossa volta o brilho e o amor de Deus para com cada um. 


Com carinho na fé, Mirian Silva

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Quero mudar meu cônjuge: "... O princípio é começar da maneira certa."

COMEÇANDO DA MANEIRA CERTA
As pessoas que desejam ver mudanças no cônjuge sempre começam da maneira errada.
O mal exemplo nos relacionamentos é quando um dos cônjuges encontra alguém conhecido e já começa  falar mal do seu cônjuge.
Por exemplo, o marido encontra um amigo e começa a falar que sua esposa é terrivelmente desorganizada. Ela passa metade do dia procurando a chave do carro. Nunca sabe onde encontrar suas coisas, porque não se lembra onde as deixou. Não é um caso de Alzheimer — ela é bem nova. É um problema de desorganização. Ai ele diz pro amigo olha já tentei ajudá-la, mas ela não aceita nenhuma sugestão minha. Diz que estou querendo controlá-la. Mas não é isso. Só quero facilitar a vida dela. Se ela se organizasse melhor, com certeza minha vida também seria mais fácil. Perco um bocado de tempo ajudando-a a procurar coisas que ela perdeu.
Esse é o inicio, o amigo interessado no assunto pergunta: - Alguma outra área problemática? E logo o marido vai soltando aos poucos os detalhes de sua esposa e do seu relacionamento com sua esposa em casa.
- Dinheiro. Eu tenho um bom emprego e ganho o suficiente para vivermos tranqüilos, mas minha esposa, gasta além da conta. Ela nunca pesquisa preços, nunca pede descontos nem sabe aguardar as liquidações. Buscamos um consultor financeiro, mas ela não segue as orientações dele. Agora temos uma dívida muito alta e, mesmo assim, ela não pára de gastar.
O amigo pra não deixá-lo desconfortável pergunta:
- Há alguma outra coisa incomodando você?
- Na verdade, há sim. Ela também não se interessa por sexo. Parece até que poderia viver sem isso. Se não tomo a iniciativa, nunca acontece nada. E, mesmo quando eu a procuro, muitas vezes ela me rejeita. Eu imaginava que o sexo fosse uma parte importante do casamento, mas, pelo jeito, ela não pensa como eu.
No decorrer da conversa, o marido continuou falando de mais algumas frustrações decorrentes do comportamento da esposa. Comentou que havia se esforçado de todas as formas possíveis para fazê-la mudar, mas com pouquíssimo ou nenhum resultado. Estava pronto para desistir de tudo. Havia procurado esse amigo a fim de uma conversa com alguém pudesse ajuda-lo, dando-lhe conselhos de como poderia convencer a sua esposa a mudar em algumas coisas. Contudo esse é a versão do marido para um amigo. Se a esposa estivesse junto talvez a versão da historia fosse outra, diferente da de seu marido. Ela talvez falaria dos problemas dela com o marido, de como, em vez de ser compreensivo, o marido era exigente e ríspido. Talvez dissesse:
"Se meu marido fosse um pouco mais gentil e romântico, eu me interessaria por sexo". E comentaria: "Pelo menos uma vez na vida, gostaria de ouvir um elogio sobre uma compra que fiz, e não mais palavras de reprovação por gastar tanto". Em resumo, sua perspectiva seria: "Se meu marido mudasse, eu também mudaria".
Existe alguma esperança para esse casal? Eles podem conseguir as mudanças que desejam ver um no outro? Creio que sim, mas, em primeiro lugar, precisam mudar radicalmente a abordagem. Estão começando da maneira errada.
  
O princípio de começar da maneira certa, por exemplo, pode ser encontrado numa lição de Jesus, conhecida como Sermão do Monte. Farei uma paráfrase da citação de modo a aplicar o princípio diretamente ao relacionamento conjugai: "Marido, por que você repara no cisco que está no olho da sua esposa, mas não se dá conta da viga que está em seu próprio olho? Ou, esposa, como você pode dizer ao marido: 'Deixe-me tirar o cisco do seu olho', quando há uma viga no seu? Hipócrita, tire primeiro a viga do seu olho, então você verá claramente para remover o cisco do olho do seu marido". Em Mateus 7:3-5, paráfrase do autor.
O princípio é claro: você precisa começar com a viga em seu próprio olho. Observe com atenção que Jesus não diz: "Não há nada de errado com seu cônjuge. Pare de pegar no pé dele". Na verdade, ele sugere a existência de um problema com o outro quando diz: "Quando você tiver tirado a viga do próprio olho, poderá ver mais claramente e remover o cisco do olho do cônjuge".
Todo mundo precisa mudar em alguma coisa. Não existem cônjuges perfeitos — apesar de eu ter ouvido a história de um pastor que perguntou: "Alguém aqui conhece um marido perfeito?". Um homem no fundo da igreja levantou a mão sem hesitar e respondeu: "O primeiro marido de minha esposa". Assim, se existem maridos perfeitos, todos eles já morreram. Nunca encontrei um marido que não precisasse mudar. Também ainda estou para conhecer a esposa perfeita.
Na maioria das vezes, as pessoas não conseguem as mudanças desejadas porque não começam da maneira correta. Concentram-se nos defeitos do outro antes de tratarem das próprias fraquezas. Vêem um cisco no olho do cônjuge e tentam removê-lo lançando uma sugestão. Quando isso não funciona, pedem abertamente uma mudança. Quando essa abordagem encontra resistência, exigem a mudança em tom de ameaça. Por fim, partem para a intimidação e manipulação. Mesmo quando conseguem algum resultado, ele ocorre à custa de um ressentimento profundo da parte do cônjuge. Não é esse tipo de mudança que a maioria das pessoas quer. Assim, se você deseja, de fato, ver seu cônjuge mudar, precisa começar tratando dos próprios defeitos.

 Fonte: Livro de Gary Chapman "Como mudar o que mais irrita no casamento" com adaptações de Mírian Silva.

*S2* "Estou convencido de que aquele que começou a boa obra em vocês, vai completa-la até o dia de Cristo Jesus." (Filipenses 1:6) *S2*

sábado, 6 de agosto de 2011

Homens x Mulheres, como entender um ao outro.

Segundo a Bíblia, a relação entre homem e mulher deve ser, antes de tudo, de respeito mútuo.

I Co 7.3-5 - O marido pague à mulher a devida benevolência, e da mesma sorte a mulher ao marido.

A mulher não tem poder sobre o seu próprio corpo, mas tem-no o marido; e também da mesma maneira o marido não tem poder sobre o seu próprio corpo, mas tem-no a mulher.
Não vos priveis um ao outro, senão por consentimento mútuo

Deus formou Eva a partir de uma das costelas de Adão (Gn 2.18-22) para demonstrar que a mulher não deve estar nem à frente nem atrás, mas ao lado do homem, como ajudadora.
E ser ajudadora não é ser inferior, pois o próprio Deus é o nosso Ajudador .

Na Palavra de Deus não há espaço para o falacioso igualitarismo feminista, porém a Bíblia também não diz que a mulher é inferior ao homem. Ela é o “vaso mais fraco”

Quer dizer, mais frágil, mais sensível e, por isso, deve ser amada e honrada pelo marido. (Ef 5.25-29). Vós, maridos, amai vossas mulheres, como também Cristo amou a igreja, e a si mesmo se entregou por ela, Assim devem os maridos amar as suas próprias mulheres, como a seus próprios corpos. Quem ama a sua mulher, ama-se a si mesmo. Por isso deixará o homem seu pai e sua mãe, e se unirá a sua mulher; e serão dois numa carne.


O princípio que deve prevalecer é o da prioridade, e não o da superioridade (1 Tm 2.13).
Porque primeiro foi formado Adão, depois Eva.

Deus não faz acepção de pessoas (At 10.34).
 
Por que, então, alguns homens se consideram superiores?
Deus fez a mulher diferente do homem para que ambos se completem, na cama, na casa, na sociedade.
 
Nesse caso, existem tarefas que o homem desempenha melhor, enquanto há atividades em que o talento feminino se sobressai.
 
E isso também deve acontecer em todas as áreas.
Com isso não menorize a importancia de cada na relação ambos tem sua improtancia, devem ser uma equipe, e se achar superior ao outro, tanto o Homem como a Mulher tem seus pontos fortes e seus pontos fracos. 
 
Precisamos nos fortalecer e alicerçar na palavra pra continuar seguindo em frente, sempre juntos como se fosse um. 
Pois a biblia sagrada diz que quando um homem e uma mulher se casam se tornam uma só carne, sendo que são ossos dos proprios ossos e carne da propria carne.
 
Essas diferenças que existem entre o Homem e a Mulher, são pra somar e não para subtrair. Aprende com as diferenças que vocês serão bem mais felizes, tente ver o lado bom de cada um, tente minimizar os defeitos de cada um, tente ver somente as qualidades de cada um.
No mais tudo de bom!!!
Peça a Deus que vc possa ver as qualidades do outro e esquecer os defeitos. Que as qualidades de cada um possa se sobre sair.




*S2* "Estou convencido de que aquele que começou a boa obra em vocês, vai completa-la até o dia de Cristo Jesus." (Filipenses 1:6) *S2*