quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

SOLTEIRA? - É ACASO OU APENAS SORTE!

Nós, as mulheres, somos muito afortunadas. Deus não faz acepção de idade, sexo ou posição. Ele pode mostrar-se podero­so tanto para as mulheres solteiras como para as casadas. Todos os membros do sexo feminino passam parte de sua vida solteiras, algumas mais tempo que as outras. Mas todas recebem a mesma orientação, independentemente de seu estado civil: "Andemos também no Espírito" (Cl 5.25). 
Essa idéia antiga de que somente as mulheres mais velhas, casadas, podem ser cheias do Espírito, não é realmente verda­deira.

A Meiga jovem
Qualquer jovem pode ser cheia do Espírito, sem tornar-se "quadrada". Já vi muitos exemplos disso em varias igrejas. O que pode ser mais belo que ver uma jovem linda e alegre, inteira­mente dedicada a Jesus Cristo? Lembro-me particularmente de uma certa jovem. Ela não é bela nem feia; é bastante comum. Está constantemente testemunhando de Cristo, e é amada por todos os amigos, principalmente pelos rapazes. Ela tem proble­mas que fariam algumas moças ficar desalentadas, mas ela não. Entregou a Jesus Cristo cada faceta de sua vida, inclusive os problemas. Ela é quadrada? De modo nenhum. É totalmente consagrada a Cristo; é uma jovem verdadeiramente cheia do Espírito Santo.
Uma jovem rebelde não pode ser cheia do Espírito. A Bíblia ordena claramente: "Filhos, obedecei a vossos pais", e também "Honra o teu pai e a tua mãe". Quando você jovem tomar a deliberação de obedecer a Deus em todas as coisas, deve que renunciar à sua atitude rebelde e seguir a determinação divina de respeitar os pais. Para que seus pais sejam muito felizes, e todos possam gozar de um belíssimo relacionamento.
O outro aspecto na vida de uma jovem que pode sofrer uma mudança drástica é sua auto-aceitação. Depois que você compreender que Deus a aceita como é, com todos os problemas, você vai  modificar suas idéias. Até esse momento era julgada pelos padrões do mundo. Sua visão geral das coisas estava turvada pela amargura e ressentimentos que tinha para com seu Criador. Quando outras coisas de sua vida foram confessadas e acerta­das, você jovem vai começar a aceitar o fato de que é uma pessoa especial, criada pelas mãos de Deus, com um objetivo especí­fico.

Quanto ao Namoro
Jovem, é preciso que você tenha certas convicções, firme­mente estabelecidas, antes que comece a namorar. Os princí­pios básicos devem estar bem cimentados em sua mente, antes que inicie este período de sua vida. Quando você já estiver dentro de um carro estacionado, tentando lutar, já será tarde demais para procurar resolver quais as noções que irá seguir. Deus tem prescrições definidas a respeito do namoro. Lembre-se de que você é filha dele, por quem ele entregou seu único Filho. Será que ele se interessa sobre a questão de quem você vai namorar, onde vai, e como se comporta? Certamente que sim! Se deseja que seu namoro seja controlado pelo Espírito Santo, então deve considerar o que Deus deseja para você. O texto de 2 Coríntios 6.14 diz claramente com que tipo de homem Deus quer que você se case:
"Não vos ponhais em jugo desigual com os incrédulos; porquanto, que sociedade pode haver entre a justiça e a iniqüidade? ou que comunhão da  luz  com  as trevas?"

Naturalmente estamos falando de namoro e não de casa­mento, mas as duas coisas estão intimamente ligadas — um modo certo de nunca se casar com um incrédulo, é nunca namorar um incrédulo.
Quando Deus ordenou: "Filhos, obedecei a vossos pais", ele tinha em mente as jovens. Se seus pais têm regulamentos e princípios para orientar seu namoro, dê graças a Deus por seus pais, pois eles a amam e querem preservá-la das tentações que cercam este período de sua vida. O rapaz que a ajuda a observar tais princípios demonstra grande força de caráter.
Que você venha casar com um homem que tenha a força de caráter e disciplina necessárias para fazer o que é certo, mesmo quando não se trata de um ato de sua livre escolha. Como já vimos sobre, os jovens que se rebelam contra as ordens de seus pais, têm tendências para se rebelarem contra Deus também, e depois, uns contra os outros.

Antes de Dizer: "Sim"
"Por esta razão não vos torneis insensatos, mas procurai compreender qual seja a vontade do Senhor." (Ef 5.17.)
Depois que começamos a amar  alguém,   torna-se  muito difícil raciocinar direito e ter uma atitude objetiva com relação à vontade de Deus para nossa vida. Portanto, o momento de buscar a orientação divina é antes de começar a amar; depois que já estamos emocionalmente envolvidas, o coração poderá enganar-nos.  E como as probabilidades são de que amemos apenas as pessoas que namoramos, devemos perguntar a Deus, logo no início, quem é que devemos namorar. Se seguirmos este plano, estaremos sempre na trilha certa, o que nos ajudará a agir equilibrada e sobriamente na escolha do companheiro da nossa vida. Que tipo de homem devemos considerar para marido? Procurar um rapaz alto, moreno e simpático não é suficiente. Tais características duram pouco, já que nem todos os rapazes altos,   morenos  e   simpáticos   acabam   sendo   bons   maridos. Lembre-se de que este "homem dos seus sonhos" será aquele que irá sentar-se à mesa com você todos os dias. Ele estará ali para vê-la, em seus bons e maus momentos. Haverá dias em que ele não será o "homem dos seus sonhos", a não ser que estes sonhos sejam pesadelos. Mas você estará casada com ele para "os bons ou maus momentos, na riqueza ou na pobreza, na saúde ou na doença, até que a morte os separe". Num momento destes, a altura dele, a cor da pele, ou sua simpatia não têm nada a ver com o modo como ele se comporta como marido, dia a dia, ano após ano. Como é ele realmente?
Procure enxergar o que há por trás de sua aparência exterior, e veja como ele é no coração.
É homem íntegro e de bom caráter?
Como é seu relacionamento com Jesus Cristo?
Participa ativamente do trabalho de uma igreja que crê na
Bíblia integralmente?
Ele é bondoso e atencioso com as pessoas?
Como ele trata a mãe dele?
Ele fala apenas de si mesmo?
Quanto interesse ele demonstra pelos  seus  problemas?
Ele consegue controlar a atração física que sente por você?
Ele tem consideração pela sua reputação e dá valor aos seus princípios e conceitos de moralidade?
Ele a trata com cavalheirismo?
Ele está disposto a amá-la como Cristo amou a Igreja?

"Maridos, amai vossas mulheres como também Cristo amou a igreja, e a si mesmo se entregou por ela, para que a santificasse, tendo-a purificado por meio da lavagem de água pela Palavra, para apresentá-la a si mesmo igreja gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem cousa semelhante, porém santa e sem defeito. Assim também os maridos devem amar as suas mulheres como seus próprios corpos. Quem ama a sua esposa, a si mesmo se ama. Porque ninguém jamais odiou a sua própria carne, antes a alimen­ta e dela cuida, como também Cristo o faz com a igreja; porque somos membros do seu corpo. Eis por que deixará o homem a seu pai e sua mãe, e se unirá à sua mulher, e se tornarão os dois uma só carne. Grande é este mistério, mas eu me refiro a Cristo e à igreja. Não obstante, vós, cada um de per si, também ame a sua própria esposa como a si mesmo, e a esposa respeite a seu marido."
Moças examinem-no cuidadosamente. Façam todas as per­guntas que acharem necessárias. É muito melhor fazer essas perguntas agora, do que vir a desejar, no futuro, que as tivesse feito.
De todos os temperamentos, a pessoa Melancólica é a que mais probabilidade tem de fazer perguntas e mais perguntas. Ela está à procura do homem perfeito. Ela pode começar a amar um rapaz que crê ser o "homem ideal", e irá descobrir que ele é humano, e tem muitas fraquezas. Ela então estará inclinada a terminar o noivado e desmarcar o casamento. Isto é preferível que abandoná-lo depois de casada. Entretanto, ela precisa compreender que o Espírito Santo é capaz de ajudar os dois a superar os pontos negativos. Ela também os possui. Como é belo quando um jovem casal pode iniciar seu relacionamento conju­gal em oração, pedindo a plenitude do Espírito Santo, para mesclar bem seus pontos positivos e negativos, e unir os dois em uma só pessoa!

A pessoa com temperamento Melancólico, pode ser tomada por uma pessoa orgulhosa e inamistosa, o que não é verdade. Mas como é retraída e tende a ser solitária, dá a impressão de ser inamistosa. Os rapazes sentem-se pouco à vontade ao seu lado, e podem não estar muito prontos a solicitar-lhe um encontro. Sua personalidade e sua vida social poderiam melhorar bastante, se ela confiasse em Deus para que a ajudasse a cultivar uma atitude mais simpática e expansiva.

A de temperamento Fleumática provavelmente deverá ter vários namo­rados, pois é uma pessoa de fácil convivência e muito agradável. Entretanto,  é tímida e falta-lhe autoconfiança. De todos os temperamentos, ela é a que, provavelmente, mais se surpreenderá quando o rapaz lhe pedir que se case com ele, e se indagará por que foi que ele a escolheu.
Em uma pesquisa feita o número de mulheres fleumáticas que mantiveram relações sexuais antes do casamento foi bem maior que o de homens fleumáticos. Isto acontece porque, geralmente, elas namoram homens de temperamento mais forte, e, em geral, estão sempre ansiosas de agradar-lhes, portanto, cedem mais freqüentemente, às vezes até contra suas convicções. É neste ponto que ela precisa urgentemente da sabedoria esclarecedora do Espírito Santo para saber discernir qual é o plano de Deus para sua vida. Não há necessidade de ela ser arrebatada pelas emoções do seu namorado. Deus pode dar-lhe estabilidade, e ajudá-la a fazer uma avaliação correta do quadro geral antes de fazer sua entrega final ao marido em perspectiva.

A de temperamento Colérica é o tipo de jovem que quer casar-se logo, para seguir adiante com seus planos. Ela tende a casar-se apres­sadamente, sem analisar os prós e os contras de tudo, sem fazer uma avaliação cuidadosa de seu relacionamento e seu futuro com aquele homem. Provavelmente, ela está confiante de que poderá resolver quaisquer problemas que porventura surjam no futuro. Sua grande dificuldade, a esta altura, é aquietar-se e esperar a orientação do Espírito Santo para sua vida. Deus tem um plano para ela, e ela precisa agir de acordo com o crono­grama divino.

A de temperamento Sanguínea já é, por natureza, uma pessoa com tanta facilidade para amar, que provavelmente irá amar várias vezes antes de firmar-se com alguém. Ela é tão afável e expansiva, que muitos rapazes pensarão que é namoradeira, e se sentirão atraídos para ela. A moça tem que aprender a distinção entre ser namoradeira e ser orgulhosa. Existe um meio termo, que pode tornar uma mulher verdadeiramente livre, em vez de inibida, acanhada e até agressiva. O amor de Deus em sua vida se refletirá em uma afabilidade cálida e genuína, e seu espírito simpático lhe proporcionará um equilíbrio adequado em suas amizades. E como é ingênua e por vezes infantil, ela necessita de uma cerca de proteção especial que lhe será dada pelo Espírito Santo. Ela é facilmente influenciada por outros, e pode tomar decisões erradas que afetariam toda a sua vida. Seu coração compassivo e bondoso pode levá-la a casar-se com alguém, apenas por um sentimento de pena, e não de amor. Sara precisa ser uma namorada cheia do Espírito Santo, como de resto todos os outros temperamentos, mas ela mais do que todas precisa do auxílio divino para cultivar convicções fortes, e força de caráter para observá-las.

*S2* "Estou convencido de que aquele que começou a boa obra em vocês, vai completa-la até o dia de cristo Jesus." (Filipenses 1:6) *S2*

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

É POSSÍVEL NOS APERFEIÇOARMOS!

Seja você mesma! Nosso temperamento é parte permanente de nossa personalidade, e ele ficará conosco do começo ao fim. Ele poderá moditicar-se um pouco durante certos períodos de nossa vida, à medida que amadurecemos, passando da infância à juventude, e dai para a vida adulta. Desfrute das riquezas dos pontos positivos de seu temperamento; depois, peça a Deus para ajudá-la a modificar os negativos, para que você se torne mais cheia do Fspírito Santo, e mais semelhante a Cristo Estes pontos negativos que impedem nosso bom relacionamento com Cristo são pecado. Sempre que cedemos a um deles, podemos ter certeza de que entristecemos o Espírito Santo ou o extingui­mos. E  isso é pecado.
“E não entristeçais o Espírito de Deus, no qual fostes selados para o dia da redenção. Longe de vós toda a amargura, e cólera, e ira, e gritaria, e blasfémias, e bem assim toda a malí< ia Antes sede uns para com os outros benignos, compassivos, perdoando-vos uns aos outros, como tam­bém Deus em Cristo vos perdoou." (Ef 4.30-32.)
"Evitai que alguém retribua a outrem mal por mal, pelo contrário, segui sempre o bem, entre vós, e para com todos Regozijai-vos sempre. Orai sem cessar. Em tudo dai graças, porque esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus para convosco Não apagueis o Espírito" (1 Ts 5.15-19.)
Quem já é crente, tem acesso ao poder do Espírito Santo para ajudá-lo a superar as fraquezas. Enquanto abrigarmos o pecado em nosso coração, não poderemos esperar que ele nos dê vitória sobre as fraquezas.
"Se eu no coração contemplara a vaidade, o Senhor não me teria ouvido." (Sl 66.18.)
A primeira coisa que temos a fazer é seguir as instruções que nos são dadas em 1 João 1.9:
"Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça." Toda vez que entristecermos o Espírito Santo ou abafarmos a sua chama, precisaremos confessar nosso pecado, e depois agradecer a Deus pelo seu perdão e restauração. Sigamos a orientação de Paulo em Efésios 5.18, que nos diz para nos enchermos com o Espírito Santo:
"E não vos embriagueis com vinho, no qual há dissolução, mas enchei-vos do Espírito."
Isto significa ser dominado ou controlado pelo Espírito.
Um dos mais difíceis aspectos dessa questão da plenitude do Espírito Santo é nossa incapacidade de entender o verdadeiro significado da palavra "cheio". Temos a tendência de pensar num copo ou recipiente qualquer, mas não é isso que as Escrituras querem dizer quando comparam um crente cheio do Espírito a um bêbado que se acha sob o efeito do vinho. O bêbado não está realmente cheio de vinho; ele é dominado por ele. Seus movimentos vacilantes e hesitantes são desconexos porque ele está dominado pelo álcool. Da mesma forma, a mulher crente pode ser controlada pelo Espírito Santo. Isto é, ao invés de manifestar as fraquezas de seu temperamento, ela dará o fruto do Espirito — amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio. Mas precisamos nos dispor a largar mão de nós mesmas e sermos controladas por Deus, e fazer de nossa vida aquilo que o Espírito Santo desejar. Temos que pedir a sua plenitude e agradecer a Deus pelo que ele irá realizar em nós, crendo que ele o fará.
"Em tudo dai graças, porque esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus para convosco."(1Ts5.18.)

"Graças, porém, a Deus que em Cristo sempre nos conduz em triunfo, e, por meio de nós, manifesta em todo lugar a fragrância do seu conhecimento." (2 Co 2.14.)

Damos aqui alguns exemplos de como os pontos negativos de cada temperamento podem  ser  modificados,  depois que passam a ser controlados pelo Espírito Santo.

*S2* "Estou convencido de que aquele que começou a boa obra em vocês, vai completa-la até o dia de cristo Jesus." (Filipenses 1:6) *S2*

sábado, 8 de janeiro de 2011

Companheirismo e compromisso


O coração da humanidade clama por companhia. Somos criaturas sociais. O próprio Deus disse a respeito de Adão: “Não é bom que o homem esteja só” (Gn 2:18). Lembro que esta análise foi feita antes da queda da humanidade, e que esse homem já tinha a companhia afetuosa e pessoal de Deus. Ainda assim, o Senhor disse: “Isso não basta.”

A solução de Deus à necessidade do homem foi criar a mulher (Gn 2:18). O termo hebraico usado aqui significa, literalmente, “face a face”. Isto é, Deus criou um ser com quem o homem poderia ter um relacionamento face a face. Isto revela o tipo de relação pessoal profunda por meio da qual os dois são ligados em uma união inseparável que satisfaz os anseios mais profundos do coração humano. O casamento foi a resposta de Deus à necessidade mais profunda do ser humano: a união da vida de uma pessoa com outra.

Esta unidade deve abranger todos os aspectos da existência. Não se trata apenas de um relacionamento físico. Nem é simplesmente dar e receber apoio emocional. Mais que isso, é a união total de duas vidas nos âmbitos intelectual, social, espiritual, emocional e físico. Esse tipo de união não pode existir sem o compromisso profundo e duradouro que Deus quer que acompanhe o casamento. O casamento não é um contrato para tornar aceitáveis as relações sexuais. Não é simplesmente uma instituição social para prover o cuidado dos filhos. É mais do que uma clínica psicológica na qual obtemos o apoio emocional de que precisamos.

É mais do que um meio de alcançar posição social ou segurança econômica. O propósito supremo do casamento não é alcançado nem mesmo quando ele é um veículo para o amor e o companheirismo, por mais valiosos que sejam.

O propósito supremo do casamento é a união de dois indivíduos no nível mais profundo possível e em todas as áreas, o que, por sua vez, proporciona o maior sentimento de realização ao casal e, ao mesmo tempo, serve melhor aos propósitos de Deus para a vida deles.

Fonte: Gary Chapman adaptado por Mírian Silva

*S2* "Estou convencido de que aquele que começou a boa obra em vocês, vai completa-la até o dia de cristo Jesus." (Filipenses 1:6) *S2*

sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

Porque as pessoas se casam?

 Antes de iniciar uma discussão de como fazer o casamento funcionar talvez devamos fazer algumas perguntas: QUAL O PROPÓSITO DO CASAMENTO? QUE ESTAMOS TENTANDO REALIZAR POR MEIO DELE?

Podemos ter dezenas de respostas diferentes, mas as que frequentemente são respondidas: sexo, companherismo, amor, prover um lar para os filhos, aceitação social, vantagem econômica e segurança.

Para responder a essas perguntas de forma completa, precisamos examina-las com o olhar da fé, buscando a sabedoria de Deus. Vemos na biblía um quadro muito diferente. A partir do livro de Gênesis no qual lemos a história da criação, descobrimos que a idéia de casamento de Deus é a fusão de duas vidas da maneira mais profunda possivel em uma nova unidade que não somente satisfará as pessoas envolvidas, como também servirá aos propósitos de Deus do modo mais elevado.

No próximo artigo falaremos sobre COMPANHERISMO E COMPROMISSO
com carinho na fé,
Mírian Silva


*S2* "Estou convencido de que aquele que começou a boa obra em vocês, vai completa-la até o dia de cristo Jesus." (Filipenses 1:6) *S2*

quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

Sua Sexualidade

Estamos tratando diretamente neste BLOG das principais prioridades na vida do homem. Penso que se pudermos contribuir para a felicidade de nossos maridos nessas áreas tão preciosas para eles, teremos mais sucesso em entrar em outras áreas cruciais para o seu bem-estar.
Depois de orar  e conversar com mulheres a respeito de seus casamentos falhos, conflituosos, insatisfatórios ou mor­tos, observei que freqüentemente a relação sexual é para elas algo de baixa prioridade. Não se trata absolutamente de a esposa não se importar com essa parte da sua vida. Mas, sim, que há tantas outras coisas exigindo sua atenção, tais como educação dos filhos, trabalho, finanças, administração da casa, estresse emocional, organização de prioridades, que o sexo pode ficar no fim da lista.
Algumas mulheres permitem que se passem semanas, meses ou até mais sem manter relações sexuais com o mari­do, por uma ou outra razão. Quando o desastre acontece, elas ficam espantadas. Embora a esposa possa ter-se sentido bem com este arranjo, o marido estava sendo negligenciado em uma parte importante do seu ser.
Para a mulher, o sexo procede do afeto. Ela não quer ser afetuosa com um homem que a faz sentir-se zangada, ma­goada, solitária, desapontada, estressada, não apoiada, igno­rada ou abandonada. Mas, para o marido, o sexo é pura necessidade. Seus olhos, ouvidos, cérebro e emoções ficam anuviados se não tiver esse relaxamento. Ele tem dificuldade em ouvir qualquer coisa que a mulher diga ou ver o que ela precisa quando essa área do seu ser é negligenciada.
As es­posas algumas vezes entendem isso de modo inverso. Elas pensam: Podemos ter sexo depois de tratar de todos esses assun­tos. Mas, na verdade, há muito mais chance de resolver as outras questões se o sexo vier primeiro.  É por isso que é importante fazer do sexo uma prioridade em seu casamento. O ponto não é se todas as condições são perfeitas ou se você se sente disposta para isso. O ponto é sa­tisfazer as necessidades de seu marido e manter abertas as li­nhas de comunicação. Não é difícil fazer com que o homem se sinta insignificante, abatido, desanimado, destruído ou tentado nesta questão. Não há, provavelmente, nenhum meio mais importante de satisfação para o homem e nenhu­ma área em que ele seja mais vulnerável. 

 Os problemas sexuais são bastante comuns porque muitas mulheres não entendem adequadamente a perspectiva de Deus sobre o assunto. Mas a Bíblia é cristalina. "A mulher não tem poder sobre o seu próprio corpo, e, sim, o marido; e também, semelhantemente, o marido não tem poder sobre o próprio corpo, e, sim, a mulher. Não vos priveis um ao outro, salvo talvez por mútuo consentimento, por algum tempo, para vos dedicardes à oração e novamente vos ajuntardes, para que Satanás não vos tente por causa da incontinência" (1 Co 7.4,5). O sexo entre marido e esposa é idéia de Deus. A não ser que estejamos jejuando e orando durante semanas se­guidas, ou estejamos fisicamente enfermos, ou separados, não há desculpa para não praticá-lo regularmente.
Quando somos casados, nossos corpos não nos pertencem. Devemos preocupar-nos mutuamente com a questão física e não privar um ao outro. A freqüência do sexo depende da ne­cessidade da outra pessoa e não só da nossa. Se a sua atitude sobre fazer sexo se resume apenas ao que você precisa ou ao que você não quer, então não tem a visão de Deus. Ele diz que o nosso corpo deve ser usado para confortar e completar nou­tra pessoa. Algo é edificado no homem e no casamento quan­do esta necessidade é satisfeita pela esposa. Algo é diminuí­do quando isso não acontece. Vocês se tornam muito mais vulneráveis à tentação e à destruição do que podem imaginar quando esta área de comunicação íntima é negligenciada. Isso pode acontecer com qualquer um e é por isso que o as­pecto sexual do seu casamento e a sexualidade de seu marido devem ser objeto de oração. É melhor começar a orar antes de surgir a necessidade.

Se o seu marido deseja o sexo com mais freqüência e você é quem está se retraindo, peça ajuda a Deus para mudar de atitude.Faça isso antes de vir os filhos, pois ai sim será mais complicado lidar com essa situação.
Vendo a situação de algumas esposas, pude descobrir que o período mais difícil para lidar com essa questão é quando as crianças são pequenas e não sabem cuidar de si mesmas. Quando você finalmente as coloca na cama, está exausta e quase caindo de sono. Só pensa em dormir o mais depressa possível, enquanto seu marido está fazendo outros planos para você. Suas opções são rejeitar totalmente a idéia e dizer: — Esqueça, estou cansada —, ou dizer-lhe que está exausta e esperar que ele diga: — Está bem. Sem problemas. Vá descansar —, ou reagir negativamente e fazê-lo sentir-se culpado ou zangado. Mas encontrei uma quarta opção que funciona muito melhor. Tente e veja se dá certo para você. 

Quando seu marido comunicar o que ele tem em mente, como só um marido pode fazer, não revire os olhos e suspire fundo. Diga em vez disso: — Está bem, dê-me quinze minu­tos (ou dez, vinte, ou o que precisar). — Durante esse tempo faça o que puder para mostrar-se atraente. Por exemplo, tome uma ducha ou um banho relaxante. Ponha uma loção ou o perfume favorito dele. (Tenha um perfume para usar só nesses momentos a sós com ele.) Penteie o cabelo. Lave o ros­to e prepare-o com produtos que façam sua pele parecer úmida e fresca. Coloque um brilho nos lábios. Ponha uma lingerie que sabe que ele acha irresistível. Não se preocupe com as suas imperfeições; ele não está pensando nelas. Caso se sin­ta constrangida, use um bonito robe que esconda os pontos que a preocupam.
Enquanto estiver fazendo isso, ore a Deus para que lhe dê energia, vitalidade e força renovadas, assim como uma boa atitude. Quando estiver pronta, confie em que ele vai achar que valeu a pena a espera. Você se surpreenderá ao perceber como pode tornar-se uma parceira de sexo muito melhor quando está se sentindo bem consigo mesma. Ele vai ficar mais feliz e os dois dormirão melhor. Este é um pequeno in­vestimento de tempo que produzirá grandes recompensas em seu casamento.

Algumas vezes a situação é oposta, a esposa é que é se­xualmente negligenciada pelo marido. A falta de interesse dele pode acontecer por muitas razões - físicas, mentais e emocionais. Mas se ele ficar contente em passar mês após mês sem sexo, alguma coisa então está errada. Se não houver um problema físico que o impeça, talvez esteja tendo sentimentos profundos de fracasso, desapontamento, depressão ou desâ­nimo que precisam ser tratados.

A oração pode ajudar a reve­lar qual é o problema e como resolvê-lo. Procure ajuda profis­sional se precisar. Isso é mais barato do que um divórcio ou a destruição física, emocional e mental de um casamento mor­to. Não permita que emoções negativas como ressentimento, amargura, autopiedade e falta de perdão cresçam em você. Mantenha-se sadia e atraente.
Se não tiver a si mesma em alta conta a ponto de não cui­dar de seu corpo, faça isso como um ato de bondade para ele. Compre uma lingerie especial de que ele goste e use-a quando estiver com ele. Faça um novo penteado. Surpreenda-o com uma nova atitude. Mantenha sua mente despreocupada e vá em frente e em crescimento. Basicamente, não faça nada.

Coisas desagradáveis ocorrem quando a parte sexual do casamento é negligenciada. Não permita que isso aconteça com você. Mantenha o olho no calendário e se recuse a deixar que passe muito tempo sem que se unam fisicamente. Se já passou muito tempo, peça a Deus que lhe mostre o porquê e a ajude a remediar a situação. E, lembre-se, nunca é tarde demais para orar pela pureza sexual, sem levar em conta o que houve no passado de vocês.
Algumas vezes os problemas sexuais no casamento são resultado de experiências sexuais antes do casamento. Ore para livrar-se e ficar curada dessas lembranças. A pureza se manifesta no momento em que ela lança raízes no coração; e tudo começa na oração. Não pre­judique ou perca o que Deus tem para o seu casamento, dei­xando de orar por esta área vital da sua vida.

*S2* "Estou convencido de que aquele que começou a boa obra em vocês, vai completa-la até o dia de cristo Jesus." (Filipenses 1:6) *S2*

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Tenha o devido Respeito por ele


É interessante que Deus exija que o marido ame a esposa, mas exige-se que a esposa tenha respeito pelo marido. "Não obstan­te, vós, cada um de per si, também ame a sua própria esposa como a si mesmo, e a esposa respeite a seu marido" (Ef 5.33).
Suponho que mulher alguma iria casar-se com um homem a quem não amasse, mas é comum que a mulher perca o respeito pelo marido depois de estarem casados há algum tempo. A perda de respeito parece preceder a perda de amor e é mais triste para o homem do que pensamos. As conseqüências podem ser muito sérias.
A mulher do rei Davi, Mical, viu seu marido dançando de alegria perante o Senhor na frente do povo, sem as suas ves­tes reais e só com as roupas de baixo, quando a arca da alian­ça estava entrando na cidade. Mical não só não participou da alegria dele, como também desprezou-o (2 Sm 6.16). Ela criticou o marido em vez de compreender a situação sob a perspectiva de Deus. Mical pagou caro pela sua falta de res­peito. O juízo de Deus fez com que não pudesse ter filhos.
 Creio que não só trazemos infelicidade para os nossos casa­mentos e nossos maridos quando não os respeitamos, como isso também fecha a porta para uma nova vida em nós. 
Em outro exemplo, a rainha Vasti se recusou a apresentar-se ao rei quando ele a chamou. O rei estava dando uma festa para seus amigos, ele se sentia alegre e queria exibir sua linda esposa. Tudo o que lhe pediu foi que pusesse roupas reais, colocasse a coroa de rainha e fizesse uma aparição real para os convidados. Ela recusou-se, sabendo muito bem que isso seria humilhante para ele. "Porém a rainha Vasti recusou vir por intermédio dos eunucos, segundo a palavra do rei, pelo que o rei muito se enfureceu, e se inflamou de ira" (Et 1.12). 
O resultado foi que Vasti perdeu a sua posição de rainha. Ela não só fez um mal ao marido, o rei, mas também ao povo. A não ser que a mulher queira perder a sua posição como rai­nha do coração do marido e magoar além disso a família e os amigos, ela não deve humilhar o esposo por mais que pense que ele o mereça. O preço é alto demais. 
Se isto já lhe aconteceu e você está ciente de haver desres­peitado seu marido, confesse isso a Deus neste momento. Diga: — Senhor, confesso que não estimo meu marido da ma­neira como a tua Palavra diz que devo. Há um muro em meu coração que sei foi levantado para proteger-me contra a possibilidade de ser magoada. Mas estou pronta a derrubá-lo para que meu coração possa curar-se.
Confesso as vezes que mostrei desrespeito por ele. Confesso, diante de ti, o pecado expresso em minha atitude e palavras desrespeitosas. Mos­tra-me como desmanchar esta barreira sobre as minhas emo­ções, a qual me impede de ter o amor incondicional que tu queres que eu tenha. Quebra o muro endurecido ao redor do meu coração e mostra-me como respeitar meu marido confor­me desejas. Dá-me o verdadeiro amor por ele, Senhor, e ajuda-me a vê-lo da maneira como o vês.
Orar deste modo lhe permitirá ver o potencial de seu mari­do para a grandeza, e não as suas falhas. 
 A oração a capaci­tará a dizer algo positivo que irá animar, edificar, dar vida e renovar seu casamento. O amor diminui se nos fixamos nos aspectos negativos.
O amor cresce se enfocamos os positivos. Quando você olhar seu marido através do coração de Deus, poderá enxergar com outros olhos. Haverá momentos em que você não conseguirá saber de onde seu marido vem, o que ele está sentindo e por que está fazendo as coisas que faz, a não ser que tenha o discernimento de Deus. Peça ao Senhor que o dê a você.

 Quando estiver orando por si mesma - a esposa dele – lembre-se do modelo da esposa virtuosa da Bíblia. A passa­gem diz que ela cuida da sua casa e faz isso muito bem. Sabe como comprar e vender, e faz bons investimentos. Mantém-se saudável e forte e se veste de maneira atraente. Trabalha com diligência e possui habilidades lucrativas. É generosa e se pre­para conscienciosamente para o futuro. Contribui para a boa reputação do marido. É forte, íntegra, honrada e não teme envelhecer. Fala com sabedoria e bondade. Não permanece ociosa, mas observa cuidadosamente o que se passa em sua casa. Seus filhos e marido a louvam. Ela não confia na beleza exterior, mas sabe que o temor do Senhor é seu maior atra­tivo. Apóia o marido e mantém uma vida pessoal proveitosa que fala por si mesma (Pv 31).
Esta é uma mulher surpreendente, o tipo de mulher que só podemos tornar-nos mediante a capacitação de Deus e nossa rendição a ele. O resultado é que ela é uma mulher cujo marido confia nela porque "lhe faz bem, e não mal, todos os dias da sua vida" (v.12). Creio que o "bem" mais importante que a mulher pode fazer para o marido é orar. Você me acompanha?
  VAMOS ORAR: 

Senhor, ajude-me a ser uma boa esposa. Compreendo muito bem que não conseguirei isso sem a sua ajuda. Tome o meu egoísmo, impaciência e irritação e transforme-os em bondade, longanimidade e disposição para suportar tudo. Tome meus velhos hábitos emocionais, mentalidade, reações automáticas, suposições rudes e posição autoprotetora e tome-me paciente, bondosa, fiel, gentil e autocontrolada. Tome a dureza do meu coração e derrube os muros com o seu aríete da revelação. Dê-me um novo coração e trabalhe em mim o seu amor, paz e ale­gria (Gl 5.22,23). Não posso ser mais do que sou neste momento. Só o Senhor pode transformar-me.

Mostre-me onde há pecado em meu coração, especialmen­te com relação ao meu marido. Confesso as vezes em que mos­trei falta de amor, fui crítica, zanguei-me, ressenti-me, fui des­respeitosa ou não pude perdoá-lo. Ajude-me a livrar-me de qualquer mágoa, ira ou desapontamento que possa sentir e a perdoá-lo como o Senhor faz - total e completamente, sem ressentimentos. Faça de mim um instrumento de reconciliação, paz e cura neste casamento. Capacite-nos para nos comu­nicarmos bem e livre-nos do limiar da separação que leva ao divórcio.

Faça de mim a ajudadora, companheira, defensora, amiga e o apoio de meu marido. Ajude-me a criar um lugar tranqüilo, repousante e seguro para o qual ele possa retornar ao fim do dia. Ensine-me a cuidar de mim mesma e a permanecer atraen­te para ele. Faça com que eu cresça e me tome uma mulher criati­va e confiante, rica de mente, alma e espírito. Faça de mim o tipo de mulher do qual ele possa orgulhar-se como esposa. Coloco todas as minhas expectativas na sua cruz. Liberto meu marido do fardo de satisfazer-me em áreas em que devo esperar isso do Senhor. 

Ajude-me a aceitá-lo como ele é e não procurar mudá-lo. Compreendo que em alguns aspectos ele talvez nunca mude; mas, ao mesmo tempo, eu o libero de mu­dar em coisas que jamais pensei que ele poderia. Deixo quais­quer mudanças que precisem ser feitas nas mãos do Senhor, aceitando plenamente que nenhum de nós dois é perfeito e ja­mais será. Só o Senhor, meu Deus, é perfeito e peço que nos aperfeiçoe. Ensine-me a orar por meu marido e a fazer das minhas ora­ções uma verdadeira linguagem de amor. Onde o amor morreu, renove-o, Senhor. Mostre-me como é de fato o verdadeiro amor e como compartilhá-lo com meu marido. Traga unidade entre nós, para que possamos concordar em tudo (Am 3.3).

Que o Deus da paciência e do consolo nos conceda ter o mesmo senti­mento de um para com o outro, segundo Cristo Jesus (Rm 15.5). Faça de nós uma equipe, trabalhando juntos, ignorando as fa­lhas e fraquezas mútuas para o bem maior do casamento e não seguindo vidas separadas, competitivas ou independentes.   

Ajude-nos a buscar as coisas que promovem a paz e aquelas com as quais possamos edificar um ao outro (Rm 14.19). Que possamos ser "inteiramente unidos na mesma disposição mental e no mesmo parecer" (1 Co 1.10).  Oro para que o nosso compromisso com o Senhor e um com o outro fique cada dia mais forte. Capacite-o para ser o chefe da casa como o Senhor o fez para ser e mostre-me como apoiá-lo e respeitá-lo enquanto ele procura desempenhar essa posição de liderança. 

Ajude-me a compreender os seus sonhos e ver as coisas da perspectiva dele. Revele-me o que ele quer e o que precisa e mostre-me os problemas em potencial antes de ocor­rerem. Sopre a sua vida, o Deus, neste casamento. Faça de mim uma nova pessoa, Senhor. Dê-me uma nova perspectiva, um ponto de vista positivo e uma relação renovada com o homem que o Senhor me deu. Ajude-me a vê-lo com novos olhos, nova apreciação, novo amor, nova compai­xão e nova aceitação. Dê a meu marido uma nova mulher, e que seja eu.



*S2* "Estou convencido de que aquele que começou a boa obra em vocês, vai completa-la até o dia de cristo Jesus." (Filipenses 1:6) *S2*

terça-feira, 4 de janeiro de 2011

Liberte-se das Expectativas


Aprendi  que não adianta ficar zangada, magoada ou res­sentida com meu marido. Isso só piora as coisas. Ele as vezes se coloca na defensiva por pensar que eu não entendo a sua situação. Compreendi que era mais saudável para nós dois se eu deixasse de lado minhas expectativas.

Aprendi que, quando coisas desagradáveis acontecem, é melhor lembrar-me das boas qualidades de meu marido. Re­cordo-me de como ele me ajuda muitas vezes com os traba­lhos domésticos e a cozinha. Ele é fiel e não me dá motivo para duvidar disso. É cristão e vai à igreja, lê a Bíblia, ora e possui padrões morais elevados. Ele me ama. Usa seus talentos para a Glória de Deus. É um homem bom e generoso. 

Acho que, se eu pudesse ajudar uma recém-casada em qualquer área, seria para dissuadi-la de iniciar o casamento com uma enorme lista de expectativas e depois frustrar-se porque o marido não corresponde a elas. É claro que há al­guns itens básicos que devem ser tratados antes do casamen­to, tais como fidelidade, sustento financeiro, honestidade, bondade, decência, padrões morais elevados, amor e prote­ção. 

Se você não tiver essas coisas, poderá pedi-las. Se ainda assim não conseguir obtê-las, poderá orar. Mas, quando se trata de pontos específicos, você não pode exigir que uma úni­ca pessoa satisfaça todas as suas necessidades.

O homem pode sentir-se excessivamente pressionado em ter de fazer isso e ainda realizar seus sonhos. Em vez disso, leve suas necessidades a Deus em oração e espere dele as res­postas. Se tentarmos controlar nossos maridos com uma enorme lista à qual devem corresponder e depois ficamos zangadas quando eles não conseguem, nós é que estamos er­radas. Os maiores problemas em meu casamento ocorreram quando minhas expectativas do que eu pensava que meu Marido devia ser ou fazer não coincidiam com a realidade de quem ele era.

Livre-se do maior número possível de expectativas. As mu­danças que você gostaria que ocorressem em seu marido ou que ele tenta fazer em si mesmo para agradar você estão condenadas ao fracasso e trarão desapontamentos para am­bos. Em vez disso, peça a Deus para fazer quaisquer mu­danças necessárias. Ele fará um trabalho muito melhor porque "tudo quanto Deus faz durará eternamente; nada se lhe pode acrescentar, e nada lhe tirar" (Ec 3.14).

Aceite seu marido como ele é e ore para que ele cresça. Depois, quando a mudança acontecer, será porque Deus trabalhou nele e ela será duradoura. "Somente em Deus, o minha alma, espera silenciosa, porque dele vem a minha esperança" (Sl 62.5). Suas maiores expectativas devem ser colocadas em Deus e não em seu marido.


*S2* "Estou convencido de que aquele que começou a boa obra em vocês, vai completa-la até o dia de cristo Jesus." (Filipenses 1:6) *S2*