quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

APRENDA COM SEUS ERROS





A maioria de nós não fomos ensinada a pensar que a primeira coisa a fazer é tratar de nossos erros. E mais fácil dizer: "Se meu cônjuge não fosse assim, eu não seria como sou"; "se meu cônjuge não fizesse isso, eu não faria aquilo"; "se meu cônjuge mudasse, eu mudaria".
Casamentos são construídos com base nessa idéia. 
Segundo as palavras de uma esposa: "Se meu marido me tratasse com respeito, eu conseguiria ser carinhosa; mas quando ele age como se eu fosse escrava, tenho vontade de desaparecer". Para dizer a verdade, entendo essa esposa, no entanto, graças à abordagem de "esperar que meu cônjuge mude" milhares de casais chegam a um estado de desespero emocional tão grande que acabam optando pelo divórcio quando um dos cônjuges conclui: "Ele (ou ela) não vai mudar nunca; assim, é melhor eu cair fora". 
Se formos honestos conosco, teremos de admitir que simplesmente esperar não funciona. As poucas mudanças ocorridas são resultantes de manipulação — pressão física ou emocional externa exercida com o objetivo de obrigar o cônjuge a mudar. Infelizmente, a manipulação cria ressentimento, e, depois da mudança, o casamento fica pior do que antes.  
Se você está passando por isso, como eu passei nos primeiros anos de meu casamento, espero que esteja aberto para outra abordagem, uma forma eficaz de lidar com a situação sem gerar ressentimento.
Não será fácil aprender a lidar primeiro com os próprios erros. Se eu lhe desse uma folha de papel, e quinze minutos para você anotar as mudanças que gostaria de ver em seu cônjuge, provavelmente a lista seria longa. No entanto, se eu lhe desse outra folha de papel e mais quinze minutos para fazer uma lista dos próprios defeitos — aquilo que você precisa mudar na maneira de tratar seu cônjuge —, sua lista provavelmente seria curta.Isso eu concordo pois antes de postar esse artigo.
As listas típicas dos maridos relacionam vinte coisas erradas com a esposa e apenas quatro com eles mesmos. As listas das esposas não são muito diferentes.
Não é fácil tirar a viga do próprio olho, mas deixe-me sugerir três passos que o ajudarão a fazê-lo.

PRIMEIRO PASSO: PEÇA AJUDA EXTERNA
  • Converse com Deus 
  • Converse com os amigos (as) de sua confiança 
  • Converse com seus pais ou os pais do seu cônjuge. 
  • Converse com seu cônjuge

SEGUNDO PASSO: REFLITA SOBRE AS INFORMAÇÕES QUE VOCÊ JUNTOU
TERCEIRO PASSO: CONFESSE

No próximo artigo será claramente descrito os passos importantes para identificar seus próprios erros, explicado cada um deles.


Referências:
Gary D. CHAPMAN, AS cinco linguagens do perdão, São Paulo: Mundo Cristão, 2007



*S2* "Estou convencido de que aquele que começou a boa obra em vocês, vai completa-la até o dia de Cristo Jesus." (Filipenses 1:6) *S2*

Cuidado com seu OLHAR!!!

 ADÚLTERAS E ADÚLTEROS



"Eu porém, vos digo que qualquer que atentar numa mulher para a cobiçar já em seu coração cometeu adultério com ela."
Mateus 5.28



É importante encontrar a causa das nossas quedas. Na verdade, é sempre o desrespeito à Palavra que nos leva a cair. Então, se fatos desagradáveis têm acontecido em sua vida, verifique o que você tem feito com o que Deus lhe fala, examinando o porquê de certas situações; caso contrário, você sofrerá muitas derrotas. Abra o coração, confesse seu erro e peça a libertação; dessa forma, o Espírito do Senhor o fará encontrar a Palavra, a qual o libertará.

Só há libertação com o conhecimento da Verdade (Jo 8.32). Jesus não nos advertiu à toa, pois a Bíblia diz que o pecado jaz à porta (Gn 4.7b). O diabo não brinca em seu sujo serviço de nos tentar e se esforça muito para nos tirar da presença de Deus, a fim de nos impedir de cumprir nossa missão de servir ao Senhor em santidade (1 Ts 4.3,7). Logo, quem não vigia cai em tentações e, depois, sofre terrivelmente, pois, fora da presença divina, as setas do destruidor o atingem.

Por isso, em todos os momentos, fique alerta para não se contaminar com os manjares dos “reis” da Terra. Satanás pode, por exemplo, tentar fazê-lo prestar atenção em alguém que não seja seu cônjuge. Se você sucumbir a tal sugestão, automaticamente será considerado adúltero, deixando de permanecer na presença do Pai. Assim, suas orações não mais serão respondidas, e, por estar desprotegido, o inimigo irá alcançá-lo com suas obras más.
Para evitar que isso aconteça, volte-se para as palavras de Jesus: Vigiai e orai, para que não entreis em tentação (Mt 26.41a). Peça ao Senhor que não o deixe se esquecer dessa séria advertência, pois, sem a ajuda dEle, você cairá em pecado. Por saber do perigo que corremos, o Salvador nos mandou vigiar e orar, e quem não aceita essa divina orientação tem falta de juízo, ou já se vendeu para o inimigo. Portanto, seja sempre verdadeiro e, quando for tentado a dar atenção ao erro, não esconda isso do Altíssimo.

O Mestre disse que basta atentarmos em uma pessoa para que sejamos considerados adúlteros. Ora, atentar é olhar com atenção, observar. Quem faz isso logo sente um desejo surgir em seu coração e, ao não se livrar dele, fatalmente comete pecado. Por isso, nem de longe ceda ao que o diabo lhe oferece nem se imagine com quem não é seu cônjuge. Cuidado! O Senhor falou de algo sério que poderá até excluí-lo do Reino de Deus (1 Co 6.10).

A salvação é infinitamente melhor do que qualquer prazer proibido. Então, se existe alguma atração pelo que o maligno lhe mostrou, entre em oração até aquilo sair do seu coração. Do contrário, você não se livrará desse laço, que é um dos mais imundos e perversos. Além disso, não nos esqueçamos de que a Palavra também chama de adúlteros e adúlteras aqueles que têm amizade com o mundo e com o que nele é normal. Isso é ter inimizade com o Senhor (Tg 4.4).

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares






*S2* "Estou convencido de que aquele que começou a boa obra em vocês, vai completa-la até o dia de Cristo Jesus." (Filipenses 1:6) *S2*